Análise | Agents of Mayhem

Depois de Saints Row: Gat out of Hell os fãs da franquia temeram que o game caísse na repetição e aguardaram ansiosos e temerosos para o que vinha em seguida. O resultado foi uma nova IP, mas não tão nova assim, Agents of Mayhem se passa no mesmo universo que os jogos da franquia Saints Row, porém no futuro, em Seul, onde o mundo é ameaçado pela organização chamada LEGION que deseja o que todo super vilão quer: dominar o mundo. Assim, Persephone, uma ex-LEGION, funda a organização que deu o nome ao jogo para combater a turma do mal.

Agents of Mayhem lembra muito Saints Row e ele foi claramente feito para agradar os fãs da franquia. Em Saints Row IV, um dos jogos mais divertidos que já joguei, você tem super poderes e pode escalar prédios, correr super rápido, além de vencer os inimigos facilmente somente com o punho. Em Agents of Mayhem, eles utilizaram essa boa ideia, com algumas modificações: alguns agentes são capazes de escalar prédios, você pode cair de qualquer altura sem se machucar e a habilidade Mayhem de cada agente pode ser uma demonstração de “poder sem noção”. Nada muito exagerado como em Saints Row IV, onde os carros eram completamente inúteis já que você corria mais rápido que eles, mas ainda traz lembranças.

 

Tudo isso em um game com cenas que nos trazem a memória os desenhos dos anos 90. Gráficos cartunescos, super vilões com grandes risadas malignas, heróis correndo juntos e pulando para a próxima missão… tudo lembra aqueles desenhos com a simples premissa de luta do bem contra o mal. Claro que, falando de Agents of Mayhem, os mocinhos não seguem o estereótipo e as piadas com conotação sexual e os palavrões estão muito presentes.

Porém, o novo jogo da Deep Silver não é mais um Saints Row com um nome diferente, e os agentes são uma grande prova disso. Com o total de 13 personagens, incluindo o Gat que pode ser adquirido em um pacote DLC — que aliás recomendo, é um dos melhores personagens na minha opinião — o jogador pode ter uma variedade de ataques, poderes e personalidades. E, você não está preso aos esquadrões mostrados nos trailers que antecederam o lançamento do game, você escolhe três agentes que mais lhe agradam e forma o esquadrão de sua escolha. Além disso, durante as missões você pode trocar à vontade entre os seus três agentes escolhidos e isso logo se torna necessário, pois certos personagens causam mais dano em certos inimigos e possuem habilidades únicas, como hackeamento, que são utilizados em algumas missões.

 

Tudo pode estar parecendo fácil demais. Você escolhe três agentes, evolui cada um deles e pronto, tem um time invencível. Mas chegar no último chefe e destruí-lo facilmente porque você está evoluído e bem equipado não irá acontecer. Isso por causa do nível de dificuldade em Agents of Mayhem que aumenta conforme o jogador avança na campanha. Posso te garantir que as últimas missões podem ser até frustrantes por causa da dificuldade. No entanto, não se preocupe, se estiver frustrante demais, você pode alterar a dificuldade a qualquer momento.

Se tratando de um jogo com lançamento recente, vem sempre aquela pergunta: e os bugs? Existem muitos deles? Esperar que um jogo seja lançado sem nenhum bug pode ser pedir demais e Agents of Mayhem não escapa deles. A maioria dos que encontrei foram bugs de posicionamento, quando o personagem trava em alguma parte do mapa, passa por paredes, etc. Além desses, você pode encontrar alguns como clicar para usar uma habilidade e não acontecer nada. Uma das missões que não fazem parte da campanha principal ficou sem completar por causa de um bug. Na missão principal, eles quase não estão presentes e pude terminar o jogo sem muito estresse. O que realmente me incomodou foi a legenda do game. Agents of Mayhem não possui dublagem em português então a legenda é necessária e o problema é que ela é muito pequena, com uma fonte e cor que se mistura ao ambiente, tornando impossível a leitura em alguns momentos.

Finalizei a campanha com mais ou menos 22h e ela pode se tornar repetitiva pelos modos de cada missão serem praticamente os mesmos. Não é nada que não possa ser contornado fazendo algumas atividades presentes em Seul, como liberar postos e descobrir covis da LEGION.

Agents of Mayhem é o novo jogo da Deep Silver que os fãs de Saints Row estavam esperando. Ele traz a mesma diversão e as risadas que a franquia anterior apresentou. Mas, quem não gostava dos Saints, pode não gostar dos agentes, já que, apesar das mudanças, a mecânica e tipo de história são bem parecidas.

Author: Priscilla Rubia

Amante de livros, séries, mangás e claro, amante de jogos, principalmente aqueles com uma ótima e profunda história. Estuda pedagogia porque precisa trabalhar para comprar os games no lançamento.

Share This Post On