Análise | Life is Strange: Before the Storm – Episódio 2: Brave New World

O fim do primeiro episódio tirou-me o receio com o que a Deck Nine Games faria com uma prequela de Life is Strange. Depois de Despertar, um episódio introdutório que nos mostra como anda a vida de Chloe e como ela conhece Rachel, Brave New World foca e trabalha no relacionamento entre as duas. 

As decisões e escolhas no primeiro episódio começam a ter suas consequências já no início deste e, ao longo de Brave New World, o jogador terá de pensar bastante quais ações deseja fazer, principalmente para aqueles que conhecem o original Life is Strange e sabem como essa história termina. O incrível é que o game não se torna enfadonho para quem já sabe o seu final, mesmo sabendo como terminará o relacionamento de Chloe e Rachel, é impossível não se envolver, torcer e sentir o peso das escolhas, ainda mais quando não temos o poder de voltar no tempo para consertá-las.

O plano decidido no final de Despertar toma forma e este episódio gira praticamente em volta dele, com um planejamento sonhador e apaixonado, típico de duas adolescentes. As coisas continuam não dando certo para Chloe e isso acaba respingando em Rachel, que conhecemos mais de sua personalidade neste episódio.

Apesar de cenas realmente emocionantes ao fim deste capítulo, ele me pareceu mais parado do que o primeiro, pois temos muitos momentos de Chloe sozinha com seus pensamentos. Muitas cenas me pareceram feitas para encorpar e fazer com que o episódio tivesse um tempo de jogo parecido com o primeiro. Cenas sem muito significado, que não fariam falta se fossem removidas do game.

Não tive problemas com bugs no primeiro episódio, mas esse tem um que pode atrapalhar quem tem mais de um jogador em casa. O primeiro save sobrescreve o segundo e itens e ações feitas pelo jogador um já estão feitas e salvas quando o jogador dois inicia o game. Na cena do ferro velho, por exemplo, onde Chloe deve coletar alguns itens no cenário, o segundo save já começa com os itens coletados e a progressão não é possível pois o jogador não consegue finalizar a tarefa – que já está feita.

A trilha sonora, porém, não decepciona e está ainda mais presente nesse episódio. Chloe tem vários momentos para refletir em meio a cenários do game com uma música que casa com o ambiente e situação.

O fim do primeiro episódio me deixou feliz em ver como a Deck Nine Games estava trabalhando com personagens tão queridos, porém, o fim desse segundo episódio me deixou receosa em como a trama irá se encerrar com apenas mais um capítulo. Muitas ações e personagens, ainda nem tomaram forma para que a história de Rachel e Chloe termine da mesma forma que é mostrada em Life is Strange.

Inclusive, algumas introduções de personagens, que no game original são narradas de uma maneira, acontecem de forma diferente em Before the Storm. Esse é um ponto complicado em uma prequela, que deve entregar uma história que todos conhecem e ainda assim deixá-la interessante, mas me parece que o jogo está deixando de ser uma prequel e se tornando em algo novo, o que não faz sentido.

Estou ansiosa e, com o final desse episódio, deu pra sentir que terei uma dose de fortes emoções no último. Só espero que a Deck Nine consiga cumprir o objetivo de prequela e entregar o final que todos tememos e esperamos.

 

Author: Priscilla Rubia

Amante de livros, séries, mangás e claro, amante de jogos, principalmente aqueles com uma ótima e profunda história. Estuda pedagogia porque precisa trabalhar para comprar os games no lançamento.

Share This Post On