Análise | Madcap Castle: paciência e precisão

O ano acabou e outro começou. Assim podemos olhar para um 2017 repleto de destaques no mercado nacional e Madcap Castle veio no finalzinho para fechar bem o ano.

Desenvolvido pela Diel Mormac Games e distribuído pela Indústria de Jogos (IDJ), uma empresa que busca fomentar o mercado nacional, o jogo surgiu na BaconGameJam 10 em 2016 com título Mad Mage Tower. Com o prêmio do primeiro lugar, o projeto evoluiu e foi produzido por uma equipe de 6 pessoas lideradas pelo designer Diel Mormac e com trilha e som criados por Rubens Stephan.

Em Madcap Castle o jogador controla um mago que está numa jornada em um grande castelo cheio de desafios para recuperar sua memória e seus poderes. Com mecânicas, visuais simples em quatro cores e trilha em MIDI, o game se foca em desafiar o jogador em 150 fases divididas por áreas temáticas que mudam tanto o visual quanto as mecânicas usadas para se resolver os puzzles.

Na primeira fase o game apresenta seus simples controles: direcionais e dois botões de ação, pulo e magia. Essa simplicidade logo se mostra complexa ao sermos apresentados à puzzles que exigem precisão e calma. Logo percebi que a equipe da Diel Mormac foi muito competente no polimento dos controles, um requisito indispensável para o gênero, oferecendo uma experiência por vezes difícil, mas sempre precisa.

Ao longo das fases, diferentes poderes mágicos são dados ao jogador, como se encolher ou virar uma estátua, para que este cruze o cenário num sistema de progressão equilibrado, no qual existe uma fase que introduz e ideia básica da mecânica e as subsequentes, que exploram e a distorcem em desafios cada vez mais complexos. Além disso, cada região do castelo é guardada por um chefe que o jogador precisa derrotar causando danos até que seus corações (sinalizados no inferior da tela) acabem.

Embora amigável no início, Madcap Castle pode ser extremamente difícil, exigindo muita calma do jogador que, por vezes, pode se sentir frustrado e com vontade de quebrar o teclado. Nada melhor que uma pausa para acalmar a mente e tentar outra hora. Para os amantes de Masocores como Super Meat Boy, o game começa devagar, mas com pouco mais de 40 fases seu nível de dificuldade já é alto o suficiente para saciar a sede dos amantes do gênero.

Como resultado, o jogo da Diel Mormac consegue oferecer uma experiência nostálgica completa, tanto pelos visuais simples, mas que não se limitam ao que era possível ser feito na época, quanto pelo ótimo level design, que oferece desafios absurdamente difíceis que vão agradar alguns e frustrar muitos. E lembre-se: se você sentir que vai chutar o monitor, dê uma pausa. Paciência e precisão são indispensáveis em Madcap Castle.

Author: Fernando Cardoso

Designer, jogador e leitor ávido, a lista de coisas diferentes que faço é longa demais, porém minha curiosidade e busca por entender tudo a minha volta é maior ainda. Mas e o futuro? Bem, Game Designer e escritor são meus objetivos, conseguir um desses já é uma conquista desbloqueada.

Share This Post On