Arte da capa de Far Cry 5 foi divulgada

Depois de lançar um teaser de Far Cry 5, ambientado no interior dos EUA, confirmando que o novo título se passa em Hope County, Montana, na última quarta-feira (24) a Ubisoft divulgou a arte da capa do jogo.

Ela destaca o que possivelmente são os vilões do jogo, sentados à mesa de modo a simular a clássica obra de Leonardo Da Vinci, A Última Ceia. Os personagens estão empunhando todo tipo de armas e ao chão, encostado na mesa, vemos um pequeno arsenal. Símbolos religiosos e um homem amarrado, com a palavra “pecador” nas costas, complementam a composição, sugerindo que o jogo irá abordar seitas religiosas extremistas.

image-28207

A capa também trás uma versão alternativa da bandeira americana e à direita uma mulher vestida de noiva é empurrada para o enquadramento. O fundo apresenta montanhas, uma igreja decorada com o que pode ser a bandeira do culto religioso, um barraco em chamas e aviões cortando o céu. Apesar da sugestão de podemos ter que resgatar uma personagem feminina, um tema recorrente e problemático da mídia, nenhum detalhe da trama foi confirmado pela Ubisoft.

O perfil do twitter do canal Feminist Frequency questionou a possibilidade do jogo abordar uma crítica à supremacia branca ou se será apenas um pano de fundo, sem que o título crie um argumento sobre o assunto. Seria interessante ver uma grande franquia pegar um tema desses e fazer uma crítica, mas infelizmente isso não é comum em jogos blockbuster e, por enquanto, só podemos especular.

Author: Fernando Cardoso

Designer, jogador e leitor ávido, a lista de coisas diferentes que faço é longa demais, porém minha curiosidade e busca por entender tudo a minha volta é maior ainda. Mas e o futuro? Bem, Game Designer e escritor são meus objetivos, conseguir um desses já é uma conquista desbloqueada.

Share This Post On
  • Tonberinho

    Como colocou o tweet do Feminist Frequency, dá para sair algo bem crítico (ainda mais se pensando o momento dos EUA e a eleição de Trump, majoritariamente eleito pelo pessoal do interior, e a ofensiva da mídia democrata), ou ser só uma roupagem tonta. Mas é interessante ver eles quererem tocar nesse assunto e levar a ideia de estar perdido num local violento pra a America, depois de ter usado locais tidos como “exóticos”.

    • FHC

      Será uma ótima mudança em um cenários onde apenas países ditos “subdesenvolvidos” são usados, como Wildlands na Bolívia. E talvez, só por que estamos vivendo esse período Trump, falar de supremacia branca não seja tão mal visto. Em qualquer outro momento isso seria muito mais complicado.