Análise | O aquecimento global e Assassin’s Creed Rogue

Quando iniciei a campanha de Assassin’s Creed Rogue, estava muito ansioso para ver o que as memórias de Shay, o personagem principal do título, acrescentariam para esta grande franquia. Logo na tela inicial, pude ouvir o tema de Ezio do segundo jogo da série com um arranjo diferente, o que resgatou boas lembranças e me motivou a começar esta saga.

Eu poderia escolher entre mais de um idioma, mas resolvi jogar com os personagens dublados em português brasileiro para ver como estava a atuação, e fui recompensado com um diálogo entre os dubladores de Adam Sandler (Shay) e Wolverine (la Vérendrye – um dos poderosos assassinos) logo no início da primeira memória. Senti que a atuação destes experientes profissionais trouxe uma atmosfera adequada a trama apresentada em Rogue. Pude perceber que houve uma preocupação especial na construção do personagem Shay Patrick Cormac e sua ligação com a história do jogo, e isso se refletiu em cada sequência e memória apresentada desde sua formação como assassino.

Muitos dos elementos de Black Flag como os combates navais, GTA com barcos e partes do jogo fora do Animus em primeira pessoa foram mantidos em Rogue, por esse motivo eu esperava que o nível de qualidade apresentado se mantivesse o mesmo. Entretanto, comecei a verificar algumas anomalias em certas partes da campanha que incluíam, ficar preso entre duas pedras, não conseguir entrar em uma memória temporariamente e um lobo uivando como se fosse uma alcateia. Apesar disso, resolvi ignorar estes bugs e seguir em frente, afinal de contas, a produção de jogos desse calibre é uma tarefa hercúlea e que envolve muitos profissionais.

Infelizmente, houve um bug que não pude ignorar pois ele foi o responsável por eu não conseguir concluir o jogo no X360.

WTF
image-1377

WTF

Durante a missão Non Nobis Domine da Sequencia 6, eu estava andando por uma caverna de gelo para progredir na história principal, quando de repente, a caverna some diante de mim. Ainda confuso se isso ocorreu em função do aquecimento global ou por um enorme equívoco na produção do jogo, testemunhei todo o cenário se transformar em um imenso oceano azul com NPC’s caindo de suas posições originais. Eu não podia fazer mais nada além de nadar até alguma plataforma no meio dessa anomalia e observar meu objetivo agora tão inalcançável quanto o horizonte.

Depois de analisar cuidadosamente os pontos levantados, minha avaliação final sobre Assassin’s Creed Rogue ficou bem prejudicada. O que posso avaliar como positivo dentro do conjunto da obra é a construção do personagem principal, a exposição dos templários como pessoas normais, mas com ideias diferentes dos assassinos e a atuação dos dubladores brasileiros, que se enquadrou perfeitamente na história. Entretanto, é um infortúnio constatar que todos os outros pontos avaliados, incluindo arte, efeitos sonoros e semiose, foram prejudicados pelo bug que me impediu de concluir a história principal do jogo. Por isso, a minha nota para este game é três.

Author: Vinicius Kazuo

Formado em Administração de Empresas pelo Mackenzie, este profissional do ramo bancário da seus pulos duplos no mundo dos games por ser fascinado pela forma como esta arte influencia os indivíduos.

Share This Post On