A música de Yasunori Mitsuda e seu papel na série Chrono – Parte 1

Artigos

Yasunori Mitsuda é uma das pessoas a quem devo agradecer por me levar para o mau caminho de escrever, pensar e repensar sobre videogames e trilha musical. Meu primeiro trabalho acadêmico – e, consequentemente, meu chute inicial no campo da pesquisa – foi uma monografia de conclusão de curso sobre sua composição para Chrono Cross que, meses mais tarde, seria base para um artigo publicado na revista GEMiNIS da UFSCar. Deixando minha impressão sobre meus próprios escritos amadurecerem em minha cabeça, decidi fazer uma síntese destas análises que ocuparam meu último ano de graduação.

A carreira de Mitsuda como compositor se iniciou aos trancos e barrancos dentro da extinta Squaresoft. Então empregado como sound designer e insatisfeito com pagamento e função desempenhada, teve que ir pessoalmente à vice-presidência da companhia para reivindicar um projeto mais interessante. Em entrevista ao antigo SquareEnix Music – atual VGMOnline, ele esclarece:

(…) Tenho certeza de que a maioria de vocês conhece a história, mas quando eu entrei na Square, eu fui empregado sob a alcunha de “compositor”. Embora eu tivesse este título de “compositor”, eu trabalhei como manipulador e programador de efeitos sonoros em games como Romancing SaGa 2, Hanjuku Hero, Final Fantasy V e Seikei Densetsu. Após um tempo, eu me cansei disso e escrevi uma reclamação direta para Sakaguchi-san (Hironobu Sakaguchi, criador de Final Fantasy) que era o vice-presidente da companhia até então. No fim, ele me deu a chance com esse novo título, Chrono Trigger.

Chrono Trigger é um dos raros e felizes casos de título eternizado como obra-prima por público e crítica. O game completa 20 primaveras de existência neste ano e continua na mente de muitos jogadores que tiveram o prazer de jogá-lo. Coincidentemente, um de seus aspectos mais elogiados foi sua trilha musical. A composição de Mitsuda, rica em influências da música tradicional de diversos lugares do mundo – o músico já tornou público diversas vezes seu apreço pelo folk irlandês, por exemplo -, ficou conhecida entre jogadores por vários aspectos, como sua riqueza melódica. Sua importância no meio, contudo, vai muito além da qualidade das peças que compõem esta trilha.

Chrono-Trigger-Box-Art

O som para videogames enfrentou por muitos anos as barreiras impostas pela tecnologia. Foi graças a estes empecilhos, em grande parte, que se consolidou a prática musical do loop neste tipo de repertório. Aos leigos, o loop é uma faixa sonora de curta duração que se repete indefinidamente – no caso dos jogos eletrônicos, esta música cíclica geralmente muda conforme o jogador troca de cenários e fases. Embora este recurso tenha se mostrado efetivo ao longo da história do videogame, ele, invariavelmente, destaca alguns aspectos da obra como um todo e deixa de lado outros, sendo o drama – no sentido de ação – a grande dificuldade encontrada por compositores de games. Perante os empecilhos, Mitsuda recorreu ao pensamento musical do cinema – e, consequentemente, de suas matrizes estéticas como a ópera e o drama musical – para obter o resultado desejado. Em entrevista ao site Original Sound Version, ele discorre:

Quando eu compus a trilha original de Chrono Trigger, os principais jogos (de RPG japonês) eram Final Fantasy e Dragon Quest, e ambas as séries eram repletas de diferentes músicas para cada fase. Como um jogador, eu sempre achei que não havia consistência na música, e eu quis usar o tema principal de Chrono Trigger o quanto fosse possível, como o fazem nos filmes. Como resultado disso, eu comecei a trabalhar com diferentes andamentos e arranjos.

O recurso ao qual Mitsuda se refere chama-se, em termos musicais, de Leitmotiv. Embora ele lembre de seu emprego nas grandes telas, o Leitmotiv encontrou seu cunho e popularização nos dramas musicais do compositor alemão Richard Wagner (1813-1883). Em termos gerais, define-se esta técnica como um motivo musical que se relaciona a um personagem, emoção, lugar ou até a uma idéia. É por meio da recorrência desta frase musical que sua ligação com um aspecto dramático da obra é estabelecida. No cinema, um exemplo muito conhecido do tipo é a Marcha Imperial em Star Wars, excerto musical associado ao lado negro da Força e ao vilão da obra, Darth Vader:

Em Chrono Trigger, Yasunori Mitsuda baseia boa parte de sua composição no marcante tema marcial do jogo. Compare a melodia original (0:15 a 0:45 do primeiro vídeo abaixo) com uma de suas variações, Memories of Green (0:06 a 0:58 do segundo vídeo) e note como ambas as peças compartilham o mesmo tema.

O tema original, com seu caráter militar e triunfante, convida o jogador à aventura que o jogo promete. Já em Memories of Green, peça tocada em um cenário de floresta do título, Mitsuda utiliza uma instrumentação menos densa e um ritmo que passa uma impressão de desaceleração se comparado à marcha que a origina, realçando o aspecto bucólico e silvestre da fase em questão.

Originalmente, o Leitmotiv servia como uma guia para o drama representado nos palcos ou telas. Ele dava a dica, como quem diz “olha, você já ouviu essa música quando apareceu aquele vilão cabra da peste, fique atento”. Na trilha musical de Chrono Trigger, o seu uso parece atingir um outro fim, o de uniformidade musical. Ao escutar ao mesmo tema arranjado de maneiras diferentes ao longo do game, o jogador familiariza-se com aquele universo sonoro e, igualmente, pode perceber a criatividade do compositor ao conseguir extrair tantas sonoridades diferentes a partir de um mesmo material melódico. De certa forma, este pensamento se assemelha ao desenvolvimento de temas em peças instrumentais do repertório clássico – em que o compositor apresenta um material melódico no início da música e depois o transforma e o reconstrói de diversas maneiras ao longo da composição. Neste sentido, o trabalho de Mitsuda em Chrono Trigger é pioneiro e extremamente eficaz, mostrando porque é uma das trilhas musicais de videogame mais citadas por público e mídia especializada.

Devido ao sucesso de sua composição, as peças de Chrono Trigger recebem arranjos e orquestrações constantemente. Recomenda-se a audição do álbum The Brink of Time, disco concebido pelo próprio Mitsuda com arranjos em acid jazz de sua própria música:

No próximo segmento destes artigos – que deve sair semana que vem -, tratarei da música de Mitsuda para Chrono Cross, fiquem ligados!

Brasileiro de estatura mediana, gosto muito de fulana mas sicrana é quem me quer. Compositor, guitarrista e pesquisador de trilha musical de videogames, meti-me a falar de jogos e pretendo continuar nesta toada por um tempo.