Petição luta por visto americano para todos os jogadores profissionais de eSports

Esports Notícias

No ano passado, o jogador sueco de Super Smash Bros. Melee William “Leffen” Hjelte foi deportado dos Estados Unidos por ter utilizado um visto de turista para competir sob o patrocínio de uma empresa americana. O visto adequado para essa atividade teria que ser o profissional mas infelizmente, quando Leffen solicitou o visto P1 (utilizado por atletas profissionais), seu passe livre foi negado sob a alegação de que Super Smash Bros. Melee não é um esporte “legítimo”.

Motivados pelo triste episódio vivido pelo jogador, um grupo de fãs de Super Smash Bros. Melee, criou uma petição à Casa Branca, solicitando o reconhecimento de todos os eSports como esportes legítimos para que os jogadore s profissionais possam receber o visto P1.

rsz_leffen-has-finally-secured-a-temporary-p1-visa

Atualmente, temos ciência que League of Legends é um eSport reconhecido como esporte profissional, o que possibilitou a emissão do visto P1 para o jogador Danny “Shiphtur” Le em 2013. Entretanto, antes de League of Legends ter desbloqueado essa grande conquista, a Riot teve que trabalhar duro para provar que  isso não era um simples joguinho de videogame, mas sim uma profissão.

Por isso, mesmo que a Riot tenha aberto uma porta para que outros esportes eletrônicos pudessem ser considerados legítimos e elegíveis ao P1, ainda há uma grande barreira em função dos preconceitos e da burocracia na imigração americana. Além disso, existe a questão da popularidade do jogo em questão que não é tão abrangente quanto o fenômeno da Riot.

Se você se interessou pela petição e gostaria de apoiar a causa, pode acessá-la por meio desse link.

Fonte: White House Petitions e Los Angeles Times

Aparentemente fragmentado, geralmente atarefado mas certamente engajado, este profissional do ramo bancário da seus pulos duplos no mundo dos games por ser fascinado pela forma como esta "arte" influencia os indivíduos.