Estudo descarta efeitos a longo prazo de videogames violentos sobre a empatia

Notícias

Nossa sociedade economicamente ativa atual é composta por muitos macacos velhos dos videogames, que passaram sua infância e juventude executando pulos duplos entre vários estilos de jogos, desde inocentes aventuras com Mickey a massacres sanguinários com o Sub-Zero. Essa forma de entretenimento, ainda tão jovem naquele tempo, era algo que preocupava pais e mães, que somente podiam imaginar horrores sobre os efeitos reais do estímulo desses jogos violentos a longo prazo.

O tempo passou e nós continuamos a jogar nossos jogos de tiro, de luta e etc., apesar da menor frequência em função de nossas responsabilidades adultas, mesmo assim, parte da sociedade ainda insiste em crer que um grande mal é causado pelos games. Alguns estudos já apontaram para uma relação direta entre jogar videogames e a redução de empatia, entretanto, eles se limitaram a análise dos efeitos a curto prazo.

Um estudo publicado na revista Frontiers in Psychology revelou que jogos de videogame não têm efeitos a longo prazo na empatia de uma pessoa, sugerindo que ela não seja diminuída por jogos de longo prazo.

O estudo mais recente, conduzido pelo Dr. Gregor Szycik da Hannover Medical School na Alemanha, analisou dados coletados a longo prazo de um grupo de 30 indivíduos. Enquanto 15 deles jogaram games violentos (incluindo Counter-Strike e Call of Duty) regularmente (em média 4 horas por dia), ou outros 15 não jogaram. Para evitar efeitos a curto prazo, os indivíduos foram instruídos a não jogar por 3 horas antes do experimento, que consistia em questionários e uma ressonância magnética enquanto viam imagens para provocar respostas empáticas e emocionais.

Depois de coletar a analisar os dados do experimento, os pesquisadores puderam afirmar o seguinte:

Interpretamos nossos resultados como evidência contra a hipótese de dessensibilização e sugerimos que o impacto da mídia violenta no processamento emocional pode ser bastante agudo e de curta duração.

Além disso, os pesquisadores ressaltaram que outras pesquisas anteriores, em busca desses efeitos, expuseram seus participantes a jogos violentos antes ou durante os experimentos, “influenciados não somente pela dessensibilização, mas também por outros fatores, como a atenção crescente para as ações motoras ou a ativação imediata de cognições agressivas”, além de outras limitações em suas metodologias.

Parece que está ficando cada vez mais difícil culpar os games por nossas decisões impensadas, não é mesmo?

Fonte:IFLScience

Aparentemente fragmentado, geralmente atarefado mas certamente engajado, este profissional do ramo bancário da seus pulos duplos no mundo dos games por ser fascinado pela forma como esta "arte" influencia os indivíduos.