Produtor da Bioware fala sobre Mass Effect: Andromeda em evento de lançamento do jogo no Brasil

Notícias PC Playstation 4 Xbox One

A espera pelo mais novo título da franquia Mass Effect está prestes a acabar. Mesmo com os problemas de animação já relatados por jornalistas e jogadores que já tiveram acesso à nova obra (onde a Bioware já declarou que não terá uma solução no lançamento), inúmeros são os fãs à espera da próxima terça-feira (21), quando Mass Effect: Andromeda será lançado.

Para celebrar o fim da espera, um evento de lançamento foi realizado hoje (19) na loja Geek.etc.br, em São Paulo, onde os presentes puderam contar com a presença de Fabrice Condominas, produtor da Bioware. Nele, Fabrice pôde falar mais sobre o jogo e responder perguntas de jornalistas e fãs da série.

Dentre as principais novidades, Condominas falou sobre o novo sistema de diálogos do jogo. De acordo com ele, o novo título utilizará “o que sobrou” do sistema binário de moralidade (dentre Paragon ou Renegade), onde agora você pode ter 4 ao invés de 2 respostas em interações com outros personagens, resultando na abertura de muito mais nuances. Em um divertido exemplo, o produtor citou que não será mais necessário chegar ao nível máximo de relacionamento para fazer alguém dormir com você, abrindo espaço para “casos de uma única noite”. O que será levado em consideração será seu nível de relacionamento com a pessoa (ou o nível de relacionamento que você quer ter).

Posteriormente, quando questionado sobre um suposto fim do sistema de classes de Mass Effect, Fabrice deixou claro que o sistema de classes não foi totalmente abolido, mas sim invertido, com a finalidade de deixar tudo “mais dinâmico e completo”. Se antes você escolhia uma classe e a optimizava, agora é o contrário: ao jogar, primeiro você escolherá suas habilidades até encontrar os requisitos necessários para poder liberar uma classe. Também é possível ser um fullbuild,  pois não é necessário ficar preso a algo que construiu no primeiro minuto.

Em seguida, ele citou o sistema de criação – outro que passou por reformulação – e que “abre uma nova caixa de pandora”. Novas armas, habilidades e novidades, poderão ser criadas, e abrem um grande número de combinações das quais nem mesmo a equipe de produção pôde experimentar em sua totalidade.

O produtor também quis deixar claro que tais novidades não são uma mera questão de aleatoriedade, e ainda deu um recado para os complecionistas:

Tentamos trazer um reequilíbrio para o jogo. E isso é complicado, com essa quantidade de opções. Se você gosta de fazer tudo, terá, literalmente, horas de trabalho. Em 5 anos, tentamos um monte de coisas e ao chegar ao final resolvemos mudar de abordagem. Por isso, decidimos que tudo que você fizer importa. Cada planeta principal terá sua própria história e as missões secundárias alimentarão essas histórias. A questão é que não haverá uma missão própria para completar tudo. Cada uma terá um objetivo narrativo, nada de “coletar 10 partes de madeiras para fazer um arco”. Existe um burburinho que todos os finais são iguais, bobagem. Nós reconhecemos que não fizemos um bom trabalho para entregar uma jornada em momentos anteriores e tivemos reclamações sobre como a história terminou. E não é apenas sobre o início e fim. Nosso foco agora é na jornada. Aprendemos muito com o Feedback de todos.

Qual será o novo destino da humanidade?

Dentre outras coisas, ele ainda citou que o sistema multiplayer será separado da história principal, todavia também com a narrativa em consideração. Depois, Condominas inevitavelmente foi questionado sobre a animação e até sobre os memes circulando a internet e afirmou que, “Andromeda é gigante. Por causa disso, muito da narração vem das suas escolhas. Como as escolhas de customização são inúmeras, isso influencia na animação. Andromeda é muito maior que todos os jogos anteriores. Muitos outros jogos não dão tantas opções, pois isso complica diversos aspectos da produção. É claro que teremos coisas positivas e negativas, mas vamos observar as críticas construtivas e negativas. Se percebemos muitas e constantes reclamações nas críticas e análises, claro que vamos levar isso em consideração.”

O simpático produtor ainda respondeu sobre a frase qual sua favorita do Sherpard (eu te amo, de uma forma sarcástica) e falou que, até onde ele sabe, não há planos de expandir o universo de Mass Effect para MMOs ou outros tipos de jogos.

Mass Effect: Andromeda chega esta semana para PC, Xbox One e PlayStation 4. Pronto para explorar novos planetas?

Games Editor, geek multi-classe e fã de esportes que acredita que bom mesmo é jogar games, pouco importa a plataforma.