Norte-americano leva regional de FIFA 17, na polêmica ausência de brasileiros

Artigos Esports Notícias Playstation 4 Xbox One

74 jogos, 260 gols marcados, muita emoção e uma polêmica. Eis os itens que marcaram as finais regionais americanas da segunda temporada do Ultimate Team Championship, torneio mundial de FIFA 17 transmitido ontem (22) pela Electronic Arts. Disputadas por dois americanos, as partidas finais de cada chave e a grande final foram um estranho reflexo de uma situação complicada: não tivemos a presença dos brasileiros classificados.

Deixemos a problemática para logo mais no texto. A Americas Regional Finals foi disputada em duas chaves, Xbox One e PlayStation 4, inicialmente seguindo o formato de dupla-eliminação, onde um jogador deve perder duas vezes para estar fora. Após uma primeira derrota, o jogador vencido é movido para a losers bracket (chave dos perdedores) enquanto o vencedor permanece na winners bracket (chave dos vencedores). Se perder uma segunda vez, ele está automaticamente eliminado.

winners bracket (A e B) vs losers bracket (C e D)

A grande final

Após tantas disputas eletrizantes, nos mais diversos tipos de partidas – vencidas no tempo regulamentar, prorrogações e pênaltis -, finalmente tivemos dois campeões. De um lado Guiseppe Guastella, o xGUASTELLAx, vencedor do torneio do Xbox One, que chegou às finais após cinco vitórias seguidas. Já do outro um inspirado Christopher Holly, o NYC_Chris, primeiro jogador do mundo a ser patrocinado por um time de futebol (New York City), que esteve na losers bracket e venceu as duas partidas contra o mexicano Rein10, consagrando-se o campeão do PlayStation 4.

NYC_Chris também chamou atenção por outros dois motivos: foi a primeira vez que alguém da chave dos perdedores venceu as finais de sua chave e ele nunca tinha jogado no Xbox One antes, uma vez que a grande final é disputada em duas partidas, uma no Xbox One e outra no PlayStation 4, para dar chances iguais aos competidores. Seria declarado campeão aquele que obtivesse o maior placar agregado.

Nas enquetes realizadas durante transmissão, a dividida torcida esperava por uma vitória do campeão do PS4 (56% contra 44% para o campeão do X1). Um último detalhe que chamou atenção das finais era a presença das lendas do futebol – jogadores dos tempos de Pelé -, os FIFA Legends, presentes apenas na versão de Xbox One. Vale lembrar que os participantes poderiam montar seus times com qualquer jogador do FIFA 17, tanto no X1 como no PS4.

https://youtu.be/IqVFxcld8go

A primeira partida, no Xbox One, foi marcada pelos arremates precisos de xGUASTELLAx. Para cada gol perdido por NYC_Chris, seu rival – jogando em casa no Xbox One – marcava um gol. Assim, xGUASTELLAx abriu 2 x 0. Chris reagiu, logo em seguida, diminuindo a vantagem contra seu rival. Mas, ainda no primeiro tempo, quando o campeão do PS4 perdeu uma nova oportunidade, xGUASTELLAx marcou mais um, ampliando para 3 x 1. O segundo tempo foi marcado por diversos erros de passes de NYC_Chris, tornando nítido seu nervosismo e desconforto no Xbox One, fato compensado por suas boas táticas de defesa, cruciais para encerrar a partida nos mesmos 3 x 1.

Chegava então a vez de Chris sentir-se em casa. Exceto por um ataque ou outro do campeão do X1, NYC_Chris esteve dominante, todavia lhe faltara precisão. Após um primeiro tempo sem gols, o campeão do PlayStation 4 precisava de dois gols para empatar no agregado e forçar uma prorrogação e até “penais”. Chris chegou a marcar seu primeiro gol com cinco minutos restantes no marcador do segundo tempo (dentre dois a três minutos reais). Porém, mesmo com muita pressão, ele não conseguiu emplacar o segundo gol, o que fez de xGUASTELLAx o grande campeão das Américas.

E a polêmica?

As finais regionais da segunda temporada contaram com a participação de jogadores das Américas do Sul, Central e do Norte. Deveríamos ter a presença dos brasileiros Wendell Lira, Lucas Tabata, Erik GaygherDigo Araújo Senna do Boné. Porém, nenhum dos atletas nacionais conseguiu o visto de entrada canadense e desfalcaram o evento.

Todos eles, em um vídeo no canal do campeão do prêmio Puskas de 2015, Wendell Lira, deixaram clara sua insatisfação. De acordo com os classificados, a EA e sua agência contratada demoraram a enviar os documentos necessários para que os participantes conseguissem seus vistos. Se preferir, confira o vídeo a seguir para entender a versão dos jogadores.

O Brasil só não ficará sem representação no mundial porque Rafael Salles Leite Fortes, o rafifa13 (brasileiro recentemente contratado como eAtleta do Paris Saint-Germain), e Lucas “LucasRep98” Gonçalves foram os finalistas da etapa regional disputada mês passado em Miami. Além deles, o brasileiro Matheus “mazuco786” Mazuco – terceiro colocado na chave do PS4 – também vai para a decisão do FUT Championship Series.

Já Wendell Lira representará o Brasil  no FIWC (FIFA Interative World Cup), torneio que segue os moldes da copa do mundo. Ele conseguiu classificação após 192 partidas vencidas, onde perdeu apenas 8 em cinco finais de semana.

Já a EA pronunciou-se recentemente sobre o caso, afirmando que irá investigar o que houve… Mesmo com esses problemas, fica acesa nossa torcida junto aos nossos representantes nacionais.

Próximos Passos

A próxima e última etapa classificatória será a européia, em Madri, no dia 6 de maio. Depois disso, teremos a tão aguardada Ultimate Team Championship Series, etapa final que reunirá os melhores do mundo. Essa acontecerá na Alemanha, nos dias 19 e 20 de maio. Já a FIFA Interative World Cup ainda terá data confirmada.

FIFA 17 está disponível para PlayStation 4, PC e para Xbox One, lembrando que assinantes da EA Access já têm acesso grátis ao título.

Games Editor, geek multi-classe e fã de esportes que acredita que bom mesmo é jogar games, pouco importa a plataforma.