Análise | Sword Art Online: Fatal Bullet

Não é de hoje que temos jogos baseados no anime Sword Art Online. Foram vários, começando no PSP, passando pelo Playstation 3 e 4, Vita e PC. Todos os jogos (com exceção do recente Sword Art Online vs. Accel World por ser um crossover) são baseados na primeira temporada do anime, que englobam os fictícios jogos Sword Art Online (SAO) e ALfheim Online (ALO), todos com temáticas medievais e lutas com espadas e magias.

Sword Art Online: Fatal Bullet veio para inovar, migrando as lutas de espadas em cenários medievais para batalhas de tiro, porrada e bomba no mundo futurista de Gun Gale Online (GGO), o fictício game online que é destaque da segunda temporada do anime. E está é a primeira incursão da franquia no Xbox One. Por se tratar de um jogo de tiro em terceira pessoa, a jogabilidade encaixa-se como uma luva no console da Microsoft.

Logo de início, você criará um avatar para o seu personagem. São diversas as opções de personalização, mas não se espante se no meio das partidas você encontrar com alguém muito parecido com você, pois apesar da quantidade, a variação de estilos não é tão grande.  Em seguida você criará sua ArFa-sys X, uma inteligência artificial com personalidade, que é objeto de desejo de todos os jogadores de GGO. Ao lado da sua amiga de infância Kuraha, você e sua ArFa irão se aventurar em desertos, masmorras e cidades temáticas em cenários futuristas pós apocalípticos infestados de monstros e robôs.

Ao criar o personagem, prepare-se pra um extenso tutorial de mais de 2 horas. São diversas mecânicas que o jogador deve aprender e dominar antes de seguir em aventuras pelas quests e sidequests do jogo.  Alguns diálogos e bate-papos tentam ajudar o aprendizado. Mas não funcionam muito bem. Com paciência e após muita conversa e exemplos, o jogador dominará o básico.

O seu personagem possui seis status que o definem: FOR, VIT, AGI, INT, DEX e LUC.  Cada um deles irá influenciar nas capacidades e nos tipos de armamentos que você poderá usar. A maioria das armas, habilidades e equipamentos são disponibilizadas ou são utilizáveis de acordo com a distribuição dos seus pontos nos status. Se quiser um personagem do tipo TANK focado em lança-misseis, deve priorizar a FOR e VIT. Já um SNIPER deve focar em DEX e LUC, pois a destreza e sorte são fundamentais para realizar bons disparos e aumentam a chance de dano crítico. As possibilidades são inúmeras e o próprio game é bem explicativo na montagem do personagem.

Sua I.A. ArFa também pode ser personalizada com roupas e pontos de status.

Em um futuro desértico e distante

Assim como os jogos anteriores de SAO, Fatal Bullet simula um MMORPG em seu modo história. O jogador pode interagir com outros players, mas apenas nos modos Player vs Player e Player vs Enemy. Ambos são divertidos, sendo o primeiro focado em uma competição amigável e o segundo em algo mais cooperativo, onde todos os jogadores devem derrotar um ou mais inimigos. Infelizmente, não existe muita variedade de inimigos ou cenários, o que acaba enjoando após algumas partidas.

Toda a trama do game se passa no jogo de Virtual Reality Massively Multiplayer Online Game (VRMMOG)  Gun Gale Online. Na fictícia história do jogo, uma invasão alienígena devastou o mundo. Robôs e monstros híbridos habitam cidades, masmorras e ruínas abandonadas de um imenso e vasto planeta deserto. Todos os cenários seguem essa “temática”. São áreas desertas, cidades abandonadas, bases subterrâneas cheias de containers e etc. E apenas isso. O jogador vai experimentar os mesmos cenários por diversas vezes. O que muda apenas são as cores dos inimigos, das paredes e a disposição dos objetivos e corredores. Faltou criatividade dos desenvolvedores para melhorar a experiência de jogo.

Estes robôs são presença constante no jogo. O que vária são apenas as cores.

Os fãs de Sword Art vão amar a trama. O jogador vai interagir com Kirito, Asuna e demais personagens dos animes e jogos anteriores da franquia. Divertido, mas apenas para quem conhece previamente a trama. Quem nunca assistiu ao anime ou jogou os títulos anteriores vai fazer de tudo para pular os longos diálogos, cheios de referências e citações que só quem é fã vai captar.

A dificuldade é alta, mas sem necessidade

Fatal Bullet é um jogo difícil. Mesmo mudando a dificuldade nas configurações, muitas vezes o jogador irá se frustrar. Você e seu grupo podem estar passeando tranquilamente pelo deserto e, do nada, surge uma horda de inimigos com 20 níveis acima dos seus, com snipers que podem matar o personagem com um único tiro.  E isso acontece com MUITA frequência durante o jogo.

Outra coisa que dificulta muito a jogatina é a inteligência artificial que controla seus aliados. Você controlará apenas o seu avatar, transmitindo ordem para os demais em pequenos comandos. Até então tudo ok. Porém, é muito comum que seus aliados peguem o caminho mais longo para chegar até você, ou resolvam cair em um buraco no meio do caminho ou então fiquem presos e enganchados na parede, correndo desesperados sem conseguir sair do lugar.

Embora pareçam organizados, seus companheiros de equipe são bem burrinhos e podem te decepcionar com erros primários.

Outra coisa problemática são os diversos bugs presentes no jogo. É comum ficar preso em um looping infinito de queda, o jogo ficar lento durante explosões ou então quando um grande número de inimigos encontra-se em batalha. Quando isso acontece, o melhor jeito de consertar o problema é usando um checkpoint ou utilizar um ponto de viagem rápida para retornar a um local anterior ao bug. Segundo a própria Bandai Namco, esses defeitos serão corrigidos com uma atualização futura, que já foi disponibilizada para a versão japonesa do game.

Cuidado com as beiradas ou um degrau mais alto. O seu personagem pode ficar preso em um glitch e não sair mais.

Feito para os fãs

Apesar dos tropeços, Sword Art Online: Fatal Bullet é um bom jogo. Uma grande variedade de armamentos e equipamentos permite personalizar seu personagem e jogar de formas variadas. Os fãs do anime irão adorar o modo história, com as diversas referências e excelente dublagem. E após a conclusão dele, o modo Kirito será liberado. Funciona como um New Game+, onde o jogador controla o protagonista da série e revive os acontecimentos do anime Sword Art Online II.

Ele poderia ter sido um ótimo jogo se não fossem a falta de criatividade no desenvolvimento e os diversos bugs que chegam a irritar em vários momentos da jogatina. Aguardo ansiosamente pela atualização que corrigirá alguns desses problemas e torço para que a Bandai Namco melhore ainda mais o desenvolvimento de novos jogos baseados em Sword Art Online.

Author: otaviorx

Apaixonado por tudo que vem do Japão, em especial os jogos. Trabalha com política, mas sonha em salvar o mundo com o poder da amizade. Um eterno sonhador que espera encontrar a Waifu perfeita ( ͡° ͜ʖ ͡°)

Share This Post On