Brawlout: Primeiras Impressões

A melhor forma de definir Brawlout é como um game que busca unir o melhor da batalhas em plataforma da franquia Super Smash Bros., com o estilo clássico e agressivo de jogos de luta como Mortal Kombat e Street Fighter.

Claro, este não é o primeiro game a tentar fazer isso, mas o caso é que em Brawlout muita coisa é bastante evidente. Por exemplo: é facilmente reconhecível que determinado personagem tem seu estilo de luta inspirado em Blanka, enquanto outro parece uma união entre Sub-Zero e o Bowser. Trata-se de uma forma da Angry Mob Games, desenvolvedora do jogo, tentar homenagear os títulos que serviram de grande inspiração para sua obra, como também de oferecer uma certa familiaridade ao jogador na hora de se aprender os golpes dos personagens.

Essa familiaridade, entretanto, não deve ser confundida com facilidade, pois, apesar dos golpes inspirados em outros games e o modo de realizar combos ser similar ao de Super Smash Bros., o jogo ainda tem seus controles próprios, sendo preciso passar algum tempo testando cada lutador para aprender quais são suas fraquezas e suas vantagens.

Trata-se, entretanto, de uma tarefa que não tomará muito tempo de quem joga, uma vez que Brawlout está em acesso antecipado e por isso não está completo, tendo somente sete personagens jogáveis (sendo um deles o Drifter de Hyper Light Drifter). Embora mais dois lutadores estejam programados para serem lançados, o número baixo de personagens é algo preocupante, uma vez que os games de luta tem apostado cada vez mais em oferecer um bom elenco aos jogadores, que possibilite jogar com os mais diferentes estilos de luta. Um número limitado pode fazer com que o jogo fiquei repetitivo e pouco atraente.

Repetição, aliás, é um dos problemas do game, mas não em relação aos seus personagens e sim aos seus cenários. Apesar de uma boa diversidade de locações, elas são muito similares umas às outras, e para uma obra que tenta ser um novo Super Smash Bros., um pouco de criatividade é necessário nessa parte. Não por acaso, um dos meus cenários favoritos é um canyon, cujo o chão vai rachando, pois é um dos poucos locais que oferece uma interação legal, o que torna a luta bem mais divertida.

A versão de acesso antecipado ainda não possui um modo história ou algo que o substitua, de forma que os embates estão limitados a lutas locais ou contra a IA, ou às lutas online. Isso, entretanto, não parece ser um problema para o game, já que o foco de Brawlout parece ser mesmo as disputas online, já de um olho no mercado dos eSports, com alguns torneios já tendo ocorrido em eventos pelo mundo.

Apesar de suas limitações atuais, Brawlout ainda é divertido. Seus controles respondem bem ao jogador, seus gráficos são simples, mas admiráveis, o estilo de luta dos personagens é agradável e o jogo sabe balancear cada um deles. Entretanto, o título ainda precisar crescer um pouco, algo que ele deve acontecer nos próximos meses.

O game está em acesso antecipado no Steam em sua versão para PC e uma versão para Switch chega ainda em 2017. Já as versões para PlayStation 4 e Xbox One serão lançadas em breve, mas sem uma previsão específica.

Author: Pedro Vieira

Nerd, gamer e cinéfilo. Apaixonado por Zelda, acredita ser a reencarnação do herói do tempo.

Share This Post On