E3 2017 | O que esperar da conferência da Nintendo

A Nintendo não sobe ao grande palco de conferências da E3 desde 2013, quando optou por mostrar suas novidades por meio de apresentações gravadas, transmitidas online em seus meios oficiais de comunicação. Este ano não será diferente, mas público e mídia têm motivos a mais para prestar atenção ao que a Big N tem para dizer na próxima terça (13), às 13h (horário de Brasília).

Até agora, o novo dispositivo da gigante japonesa, o Switch, tem rendido motivos de alegria aos seus investidores, o que significa que o maior desafio da empresa será o de manter a boa maré do aparelho lançado em março. Espera-se que a companhia apresente títulos fortes o suficiente para convencer jogadores a adquirir seu híbrido — como foram Breath of the Wild Mario Kart 8 Deluxe.

A PRATA DA CASA, COMO SEMPRE, VEM FORTE

Não é de hoje que a Big N confia em suas produções internas para se sustentar. Afinal, a empresa luta desde o impasse com as third-parties acerca dos cartuchos do Nintendo 64 para reconquistar o apoio de estúdios de fora.

Apesar do Switch vislumbrar uma mudança nesse panorama, a Nintendo deve abrir as alas de seu desfile na E3 com suas próprias criações e de suas subsidiárias. Super Mario Odyssey tem tudo para ser a grande aposta da companhia para os lançamentos do segundo semestre.

Revelado em janeiro durante transmissão oficial, o game promete trazer de volta o aspecto de sandbox de títulos do passado, como Super Mario 64 Super Mario Sunshine.

Odyssey deve contar com bom tempo de tela durante a Spotlight — como está sendo chamada a apresentação na E3. O game será disponibilizado aos jogadores durante as festas de fim de ano, época em que há grande procura por presentes. A nova aventura do encanador italiano tem que fazer bonito para que a Nintendo tenha um próspero Natal.

Outro título que pode dar as caras no dia 13 é a nova iteração de Fire Emblem, anunciada também em janeiro, embora sem maiores detalhes ou imagens divulgadas. O game será o primeiro da série a vir para um console desde Radiant Dawn (2007), no Wii. De lá para cá, a franquia teve bom desempenho no 3DS com games como Awakening (2012) e Fates (2015), angariando jogadores para sua fanbase. Uma aparição na Spotlight, por mínima que seja, pode animar os donos do Switch.

Saindo da tática e indo para a ação, Xenoblade Chronicles 2 é mais um game que deve encabeçar a apresentação da Big N no maior evento de games do ano. O título, que marca a volta do compositor Yasunori Mitsuda (Xenogears, Chrono TriggerChrono Cross) à franquia, tem seu lançamento previsto para o segundo semestre de 2017. A opulência costumeira dos jogos da Monolith deve se fazer presente.

Para não dizer que não falei das flores, The Legend of Zelda deve dar as caras na Spotlight com o pacote de conteúdo adicional que chega a Breath of the WIld no final do ano. O DLC trará um novo capítulo à história do aclamado game e espera-se que mais detalhes sejam revelados na próxima terça.

INVESTIMENTO NO CENÁRIO COMPETITIVO

Os eSports deixaram de ser uma aposta para se tornarem um ramo autônomo dos videogames e a Nintendo parece ter plena ciência do fato.

Para começar, temos o lançamento próximo de ARMS, que chega ao Switch na próxima sexta (16). O novo game de luta é presença certa na E3 e contará com seu próprio torneio no evento, que se dará no dia 14 e deve começar às 19h30 (horário de Brasília). É sensato pensar que o título deve ganhar algum trailer especialmente para sua chegada durante a conferência de sua criadora.

Seguindo a mesma linha, os meses de julho e agosto também serão marcados por mais jogos competitivos no Switch. O aparelho recebe Splatoon 2 em julho e Pokkén Tournament DX em agosto, sendo que ambos contarão com torneios fechados durante a E3. O primeiro game, no entanto, é quem tem mais chances de figurar na apresentação do dia 13, visto que a versão de luxo de Pokkén já teve bastante exposição em seu anúncio, feito na última terça (6).

No campo da especulação, eu contaria com uma versão de Super Smash Bros. chegando ao híbrido. Com o lançamento de tantos ports de jogos do Wii U no Switch, é válido considerar que um dos títulos de maior sucesso da empresa na geração passada deve dar as caras no dispositivo. Além disso, a franquia protagoniza a cena competitiva mais forte de jogos da companhia e o investimento nisso parece-me natural — mesmo que jogadores profissionais de Smash Bros. volta e meia critiquem a Nintendo por falta de suporte.

VOLTEM, THIRD-PARTIES!

Um dos pontos mais chamativos durante o anúncio do Switch em outubro foi a quantidade de empresas externas que garantiram seu apoio ao híbrido. Nomes como From Software e Bethesda logo saltam aos olhos, além de antigas parceiras da Big N, como a Capcom e a Sega. Não à toa, algumas produções das chamadas third-parties devem aparecer na conferência.

Algumas das empresas parceiras da Nintendo no Switch.

Uma presença quase garantida e que deve dar as caras na apresentação da Bethesda também é o port de The Elder Scrolls V: Skyrim para o Switch. O game figurou brevemente no trailer de revelação do aparelho e foi oficialmente confirmado em janeiro. Queridinho da geração passada para muitos jogadores, a nova versão do título deve ser lançada no terceiro semestre deste ano.

Outro RPG de peso aguardado para a E3 2017 é a nova iteração de Shin Megami Tensei, também anunciada em janeiro. Não se sabe muito sobre o game além do fato de que sua chegada ao Switch é certa e que ele está sendo desenvolvido no motor Unreal 4. O título é um forte exclusivo do dispositivo e, apesar de SMT fazer muito sucesso no Oriente, é natural pensar que uma localização chegue ao Oeste.

Ainda sobre favoritos dos japoneses, um que pode dar o ar de sua graça é Monster Hunter XX. O game, que foi lançado este ano para 3DS no Oriente, teve uma versão de Switch confirmada e deve chegar ao aparelho em agosto. Assim como Shin Megami Tensei, a localização ocidental ainda não foi garantida, mas essa é uma aposta relativamente segura ao considerarmos o tamanho da franquia da Capcom.

No campo dos esportes, é possível que a Electronic Arts decida revelar maiores detalhes sobre a versão de FIFA 18 para o Switch, que não rodará na engine Frostbite e não contará com o modo Jornada como nas iterações que chegarão ao PC, PS4 e Xbox One. O game será lançado no dia 29 de setembro.

Vale mencionar também os crossovers entre propriedades intelectuais da Nintendo e jogos de outras companhias. Alvo de rumores e vazamentos recentes, Mario + Rabbids Kingdom Battle marca uma parceria da Big N com a Ubisoft e pode ser presença em ambas conferências. No mesmo sentido temos Fire Emblem Warriors, que foi anunciado em janeiro e deve trazer muita ação tanto ao Switch quanto ao New 3DS.

A FESTA DOS NINDIES

A Nintendo tem se mostrado gradativamente mais receptiva às produções independentes. Diversos novos títulos e ports que foram anunciados para o Switch e/ou 3DS têm seu lançamento previsto para o segundo semestre do ano e é natural que a empresa queira mostrar essa faceta ao público. Um bom exemplo disso é o jogo brasileiro Dandaradesenvolvido pelo estúdio mineiro Long Hat House:

O 3DS NÃO MORREU

Ao contrário do que se pensava, a Nintendo não deixou de investir em portáteis após o lançamento de seu híbrido. Exemplo disso é a chegada do novo membro da família 3DS em julho, o New 2DS XL, que pode ser brevemente demonstrado durante a apresentação.

Os dispositivos de mão da empresa têm alguns títulos prestes a serem disponibilizados aos jogadores e que devem ganhar um boost em sua publicidade.

Ever Oasis, RPG de ação dirigido por Koichi Ishii (Secret of ManaMajora’s Mask 3D) e que será publicado pela Nintendo, chega ao 3DS no dia 23 de junho no Ocidente e em meados de julho no Japão.

Em julho, os portáteis recebem dois games fortes. Hey! Pikmin, plataforma baseado na franquia de estratégia da Big N; e Miitopia, RPG protagonizado pelas carismáticas figuras das plataformas sociais da empresa.

ESPECULAÇÕES SENSATAS E DELIRANTES

A E3 não teria metade de sua graça se não fossem as especulações e os famosos chutes da imprensa.

Como o Switch é uma plataforma nova, considero plausível que a Nintendo opte por revelar novas funcionalidades e periféricos (ah! os periféricos…) para ele. Uma aposta que faço é na oficialização do Virtual Console do híbrido, podendo trazer, inclusive, títulos do GameCube — um pedido frequente da base de fãs. Não me baseio somente no clamor popular, mas remeto à cena competitiva novamente e lembro que Super Smash Bros. Melee continua firme e forte nos campeonatos.

Dado o histórico de ports do Wii U para o Switch, fato comum aos lançamentos dos últimos consoles, também espero ver a chegada de outros títulos do passado. A minha especulação, nesse caso, vai para Mario Maker, game com um potencial social imenso, condizente com a proposta do novo aparelho.

Um quarto jogo da série principal de Pikmin já foi levantado na mídia especializada em outros anos, embora não tenhamos ouvido falar mais do assunto desde o ano passado. O retorno da franquia, aliado a seu spin-off, pode render bons frutos a sua criadora.

Além disso, tratando-se da Big N, a esperança pelo uso de suas cartas na manga é a última que morre. Se a empresa escuta os pedidos de seus entusiastas, é possível que um novo Metroid (que não seja um Federation Force) esteja em produção. A localização oficial de Mother 3 seria bem-vinda também.

ACOMPANHE A E3 NO PULO DUPLO

O Pulo Duplo preparou uma cobertura do maior evento de games do planeta especialmente para você. Acompanhe as conferências de todas as empresas com comentários ao vivo em nosso Twitter, além de assistir às nossas lives na Pulo Duplo TV entre os dias 11 e 16 de junho, sempre às 20h. Sua presença é muito importante para nós!

Confira abaixo o horário das apresentações de cada empresa na E3 2017:

Author: Luiz Roveran

Brasileiro de estatura mediana, gosto muito de fulana mas sicrana é quem me quer. Compositor, guitarrista e pesquisador de trilha musical de videogames, meti-me a falar de jogos e pretendo continuar nesta toada por um tempo.

Share This Post On