Fallout 20 anos: a guerra realmente nunca muda

A guerra. A guerra nunca muda.

Francisco Ferdinando. Blitzkrieg. Nacionalismo. Liberdades civis. Poderio armamentista. Territórios. Petróleo. Ouro. Cobiça. Orgulho. Deus. Os detalhes são triviais e irrelevantes; as razões, como sempre, puramente humanas.

2017. Passamos pelas Cruzadas e pelas Grandes Guerra. Vivemos em um mundo de tecnologia, inovação e prosperidade. Também vivemos em um mundo de medo.

Quando o crime organizado tomou as casas dos meus antigos vizinhos, eu me calei. Tudo já estava um caos com o terror do Estado Islâmico espalhado pelos grandes centros. As coisas só pioraram quando a História e o orgulho deram poder a dois líderes instáveis. Entramos em uma nova Guerra Fria, desta vez entre Estados Unidos e Coréia do Norte.

Pelo medo, tentamos criar ideias confortáveis em nossas mentes. Ignoramos a evolução e a informação para crer em absurdos como Terra Plana. Isolamo-nos em grupos cada vez mais restritos e repudiamos opiniões contrárias. Não lemos, não debatemos; apenas assumimos algo como verdade.

exilio

A solução para os problemas sempre esteve aos olhos, mas continuamos a escolher exilá-la. Tudo pelo conforto de não ter as próprias ideias refutadas. Tudo pelo medo de conhecer o novo. O medo traz a desconfiança. A desconfiança traz o preconceito. O preconceito traz a raiva. Essa é a nossa preferência.

Após milênios de conflitos armados, a natureza destrutiva do homem mais uma vez põe a paz em cheque. Meus vizinhos vêem todos os acontecimentos do meu lado, aqui no sofá da sala. Assim como eles, temo por nossa segurança, mesmo com todas as grades que me isolam.

E eu estou com medo. Todos os dias, acordo com medo. Não apenas pelo dia de amanhã, mas também de me tornar mais um intolerante. De sentir raiva do meu vizinho por ser de outro país. De sua mulher por seus pensamentos políticos contrários. De ser incapaz de entender que minhas opiniões podem estar erradas.

Não sei como achou esse diário, tampouco creio que ele vá cativar o seu coração. Só gostaria que você percebesse que esse mundo inteiro é uma casa. Sua casa. Foi aqui que você nasceu e onde vai morrer. Isso não te faz pensar?

Os últimos vinte anos me entregaram lições de decepção, mas também de perseverança. No entanto, o maior aprendizado é que a guerra…

A guerra nunca muda.

Feliz 20º aniversário, Fallout.

Author: Marco King

Um simples desenvolvedor com textura realista que quer desligar a PhysX e sonha a 120 frames por segundo. Pena que a memória é baixa.

Share This Post On