Análise | Raji: An Ancient Epic

Análises PC PS4 Switch Xbox One
8

Ótimo

Raji: An Ancient Epic foi um game que me chamou desde sua demonstração, disponível nos últimos Festivais de Jogos da Steam. O combate fluído e a história baseada na cultura indiana foram os aspectos que mais me cativaram. Será que o jogo consegue sustentar tudo aquilo que a demonstração passou?

Raji e Golu

Raji e Golu são irmãos que vivem em um grupo itinerante onde fazem apresentações de cidade em cidade. Raji se equilibra e faz acrobacias na corda bamba enquanto Golu conta histórias no teatro das sombras. Em meio a uma apresentação, demônios aparecem no local, criaturas que só existiam nas histórias que Golu contava. Eles raptam Golu e diversas outras crianças.

Raji não irá desistir do irmão tão facilmente e se vê em meio a uma guerra entre deuses e demônios. Ela recebe ajuda para seguir em frente e impedir o senhor dos demônios, Mahabalasura, em seu plano nefasto.

Cenários deslumbrantes são um ponto positivo de Raji: An Ancient Epic
Cenários deslumbrantes são um ponto positivo do game (Reprodução: Priscilla Brentan/Nodding Heads Games)

Mitologia hindu e balinesa

Raji: An Ancient Epic se passa na Índia e como não poderia ser diferente, é repleto de histórias e aspectos das mitologias hindu e balinesa. O game é narrado por Vishnu, um dos deuses principais do hinduísmo, responsável pela sustentação do Universo; e Durga, uma deusa suprema, caçadora de demônios. Embora Raji não possa escutá-los, ela é agraciada por ambos diversas vezes, com armas e habilidades para ajudá-la a derrotar as criaturas maléficas. Além disso, diversos murais apresentam contos da cultura indiana, inserindo e ensinando o jogador na mitologia.

Conheça mais das mitologias hindu e balinesa em Raji: An Ancient Epic
Conheça mais das mitologias hindu e balinesa (Reprodução: Priscilla Brentan/Nodding Heads Games)

Mais da história de Raji e Golu pode ser descoberto com simples puzzles em forma de mandalas, onde o jogador precisa juntar as peças para formar imagens.

O cenário do game é deslumbrante com diversas paisagens que podem ser apreciadas pelo jogador. Muito da história é contada utilizando o teatro de sombras, outro aspecto da cultura indiana.

O combate e gameplay de Raji: An Ancient Epic

Conforme mencionado anteriormente, Raji é uma acrobata e vemos muito disso em sua movimentação. Ela pula grandes alturas, desliza por tapetes, pula e esquiva dos inimigos majestosamente. O combate em Raji: An Ancient Epic é bem fluído e o jogador poderá escolher diversas formas – e armas obtidas ao longo da narrativa – para derrotar os adversários. Inclusive gostei da forma como eles mostram o HP do jogador e inimigos: um círculo que diminui gradativamente conforme o dano recebido/causado.

O combate é fluído e cheio de possibilidades em Raji: An Ancient Epic
O combate é fluído e cheio de possibilidades (Reprodução: Priscilla Brentan/Nodding Heads Games)

O combate, porém, possui uma falha: é pouco desafiador. Portanto, o jogador irá perecer diante de seus inimigos em poucas ocasiões, mesmo contra chefes.

Conclusão

Raji: An Ancient Epic possui uma narrativa envolvente com cenários deslumbrantes e um combate fluído, porém apresenta pouco desafio para o jogador. O game pode ser finalizado com aproximadamente seis horas de gameplay e vale a pena pela diversão somada com o aprendizado das mitologias hindu e balinesa.

Siga o Pulo Duplo nas Redes Sociais!

Positivo

  • Cenários deslumbrantes
  • Combate fluído
  • Possibilidade de aprender sobre as mitologias hindu e balinesa

Negativo

  • Combate pouco desafiante
  • Final da narrativa é confuso

Resumo

Raji: An Ancient Epic é um game narrativo que se passa na Índia onde Raji deve salvar seu irmão Golu de demônios que o raptaram.
8

Ótimo

Amante de livros, séries, mangás e claro, amante de jogos, principalmente aqueles com uma ótima e profunda história. Estuda pedagogia porque precisa trabalhar para comprar os games no lançamento.