Análise | Vigil: The Longest Night

Análises PC Switch
7

Bom

Vigil: The Longest Night é um jogo indie da Glass Heart Studios inspirado em Salt Sanctuary e Castlevania. Isso significa que o game é um metroidvania com elementos de horror. Uma das grandes características de Vigil são seus monstros de aparência grotesca e Leila, a Vigilante, deve ajudar a exterminá-los.

Ela estava longe de casa, a cidade de Maye, por um longo tempo para cumprir seu treinamento. Todo o mundo de Vigil: The Longest Night é escuro e sombrio, pois como o próprio título do game diz, é noite há muito tempo e a luz do dia é apenas uma lenda contada pelos mais velhos. Ao investigar de onde uma praga que tomou a cidade veio, Leila se vê envolta em uma trama que vai além do lugar onde vive e lhe aponta o motivo da luz do dia ter sido engolida.

Os cenários são um dos pontos positivos de Vigil: The Longest Night
Os cenários são um dos pontos positivos do game

O Combate e a História de Vigil: The Longest Night

O combate em Vigil: The Longest Night é cheio de possibilidades. Isso porque o jogador pode escolher entre diversos tipos de armas para derrotar seus inimigos. Espadas, arcos, adagas, armas pesadas, o jogador escolhe o estilo de luta que preferir. Utilizei a arma principal, a espada, praticamente o jogo inteiro e não a alterei. O game não oferece uma gama de equipamentos muito melhores, então a espada que estava comigo no início foi utilizada até o fim, com algumas melhorias.

Os monstros, além de horrendos, são desafiadores, então é necessário atacar com cautela. Leila possui uma barra de estamina, então atacar inconsequentemente pode fazê-la se cansar, tornando-a um alvo fácil para os inimigos. O jogador também pode equipar amuletos, que fornecem habilidades especiais para atacar.

O combate de Vigil: The Longest Night permite diversas possibilidades
O combate permite diversas possibilidades

Morrer pode ser um problema, pois o jogo só pode ser salvo em pontos específicos do mapa que não aparecem com muita frequência, então ao ser derrotado você retorna ao último local que salvou. Para ajudar nesse caso, existe um item que lhe permite salvar em qualquer ponto do mapa, mas o mesmo é limitado.

Além da missão principal de Vigil: The Longest Night, é possível explorar o mapa e conversar com os moradores para encontrar missões secundárias que lhe garantem recompensas. A história principal é um pouco confusa, pois mesmo após terminar o jogo algumas perguntas terminaram sem resposta.

Normalmente gosto de completar o máximo de missões secundárias possíveis, porém em Vigil isso não foi possível por um motivo que irei falar em seguida.

Mapa e o metroidvania

Como mencionei anteriormente, Vigil: The Longest Night, é inspirado em Castlevania e por isso, o mapa é muito importante. O jogo possui elementos metroidvania, o que significa que existem áreas no mapa que não podem ser acessadas de início. É preciso ganhar certas habilidades, como Pulo Duplo, para explorar o mapa completamente.

Mapa de Vigil: The Longest Night não marca pontos de interesse
Mapa não marca pontos de interesse

Para se localizar o mapa é ótimo e cumpre o seu papel, mostrando com detalhes os aspectos de cada local, ficando fácil identificar cada parte. Porém, ao marcar os pontos de interesse ele falha. Ao coletar uma missão secundária, por exemplo, é necessário lembrar em qual NPC o jogador deve retornar pois não há nenhuma marcação. Isso acabou tornando minha vida muito difícil na hora de entregar missões ou mesmo retornar em certa parte do mapa coma solução para uma porta anteriormente inacessível.

Conclusão

Vigil: The Longest Night é um game com cenários bem feitos e monstros grotescos, saídos diretamente de pesadelos. O combate é satisfatório, embora os equipamentos não consigam acompanhá-lo. O mapa é o grande problema do game, que não indica pontos de interesse e precisa rapidamente de melhorias.

Siga o Pulo Duplo nas Redes Sociais!

Positivo

  • Visual interessante e medonho
  • Combate variado que permite ao jogador alterar entre estilos

Negativo

  • Mapa sem marcações importantes
  • História confusa
  • Equipamentos podem ser utilizados do início ao fim ao realizar algumas melhorias, fazendo com que a compra e obtenção de outros equipamentos seja sem grande importância

Resumo

Vigil: The Longest Night é um game inspirado em Castlevania que traz um cenário bem trabalhado e monstros saídos direito dos seus piores pesadelos.
7

Bom

Amante de livros, séries, mangás e claro, amante de jogos, principalmente aqueles com uma ótima e profunda história. Estuda pedagogia porque precisa trabalhar para comprar os games no lançamento.