Análise | Gato Roboto – Uma ode ao metroidvania

Análises PC Switch
9

Incrível

Gato Roboto, indie game da doinksoft em parceria com a publisher Devolver Digital, lançado em 30 de maio, conta a história de Gary e sua gatinha Kiki, com foco na gatinha.

Ao escutar um chamado em um planeta abandonado, Gary muda seu rumo, porém as coisas dão errado quando Kiki aperta um botão que não deveria (gatos, não é mesmo?). Ele acaba preso à nave e Kiki é a única que pode explorar o remoto planeta. Para isso, ela conta com a ajuda de uma armadura que a permite atacar os alienígenas do local e assim investigar a fonte do sinal.

Metroidvania de respeito

Gato Roboto é um metroidvania que presta homenagens a outros games do tipo, principalmente a Super Metroid, com portas redondas e uma armadura que solta rajadas nos alienígenas. O game segue o padrão do gênero, com locais inacessíveis de princípio, que são desbloqueados quando Kiki encontra um novo módulo para sua armadura. Seja um míssil para quebrar paredes de tijolos ou mesmo, olha aí, o pulo duplo.

Gato Roboto

A armadura, porém, não pode acessar certos espaços e para isso a gatinha tem de explorar sem ela. Lugares com água (apesar de se recusar a nadar de princípio), por exemplo, só podem ser acessados fora da poderosa armadura. É preciso, porém, ter muito cuidado, já que sem a proteção, Kiki fica vulnerável a qualquer ataque. A armadura pode ser obtida novamente em qualquer ponto de save.

Gato Roboto

A armadura, porém, não é o único acessório que pode ser obtido no game. Um submarino também está disponível em alguns pontos e uma espécie de máquina que solta raios e quebra paredes (e inimigos) também fazem parte do arsenal de Kiki.

Risadas estão inclusas

Uma das coisas que não poderia faltar em um game onde o jogador assume o papel de um gato em uma armadura, é o humor. E ele é presente e muito afiado. Gary conversa o tempo todo com a gatinha e fica lembrando o tempo todo como isso é surreal. Outros inimigos, como o arquivilão, rato, também contribuem para o humor refinado.

São pequenos detalhes que contribuem para que Gato Roboto seja único. A expressão de Kiki, visível o tempo todo no topo direito da tela, muda quando ela ataca os inimigos, para uma expressão feroz (e ainda, fofa). As cores do jogo, inicialmente em preto e branco, podem ser alteradas conforme você encontra cartuchos escondidos pelos mapas. O humor está presente mais uma vez no nome dado aos cartuchos, como urina, com as cores amarela e preta.

Gato Roboto
Que carinha de mal mais fofa

Conclusão

Terminei Gato Roboto depois de 5h de jogo, completando por volta de 70% da aventura. O game incentiva você a explorar para encontrar, além dos cartuchos, melhorias para a armadura de Kiki.

Se você procura um jogo rápido, barato e divertido, encontrou. Gato Roboto é uma ótima pedida para os fãs de metroidvanias, gatos e diversão. O game está disponível para Nintendo Switch e PC e essa análise foi feita com uma cópia para PC fornecida gentilmente pela Devolver Digital.

Gato Roboto fez parte de uma série de gameplay na nossa página do Facebook. Caso queria conferir o game, acesse:

Gato Roboto – Primeira Parte
Gato Roboto – Segunda Parte
Gato Roboto – Terceira Parte

Positivo

  • Divertido, com jogabilidade fluída
  • Bem humorado
  • Cores podem ser alteradas durante o game
  • Detalhes tornam o jogo único e memorável
9

Incrível

Amante de livros, séries, mangás e claro, amante de jogos, principalmente aqueles com uma ótima e profunda história. Estuda pedagogia porque precisa trabalhar para comprar os games no lançamento.