Análise | Kingdom Hearts: Melody of Memory

Análises Gaming Switch
7.5

Bom

Com o lançamento de Kingdom Hearts III, esperávamos a conclusão da épica saga de Sora, Mickey e das lendárias keyblades. Após um final surpreendente e um desfecho digno para o vilão Xehanort, fomos surpreendidos pela Square Enix com o anúncio de mais um jogo. Desta vez, com uma temática um pouco diferente.

Trailer oficial

Kingdom Hearts: Melody of Memory é um game musical rítmico com a coletânea de músicas que marcaram os quase 20 anos da série. Literalmente, todas as músicas dos oito jogos principais (não incluindo as versões para celulares) estão reunidas no novo título. São mais de 140 músicas trazidas em versões originais e remixadas. Destas, três faixas são originadas de filmes da Disney: Circle of Life (Rei Leão), A Whole New World (Aladdin) e Beauty and the Beast (A Bela e a Fera).

Apesar da história não ser o foco aqui, ela existe. Melody of Memory acontece logo após os eventos da DLC Re:Mind do KH III. O jogador é apresentado a um cenário formado por lembranças dos principais acontecimentos da saga. Porém, a nova aventura possui uma protagonista conhecida dos fãs.

Kairi e sua busca pela verdade

Para evitar grandes spoilers, vamos a um breve resumo dos acontecimentos após KH III. Depois da fatídica batalha contra Xehanort, Sora salvou sua amiga Kairi da escuridão, mas desaparece após o feito. Desesperada por ajuda, a heróina busca em suas lembranças a localização do amigo perdido.

Kingdom Hearts: Melody of Memory
image-272318
Em Kingdom Hearts: Melody of Memory, acompanhamos Kairi em sua busca por Sora.

Com a ajuda de um time de cientistas liderados por Ansem, Kairi parte em uma jornada por suas memórias, que foram convertidas em melodias. Após várias horas de jogo, temos um pequeno vislumbre do futuro da série.

Melody of Memories funciona como uma prequela do futuro jogo da saga, que deve explorar novos mundos e personagens levemente apresentados no terceiro capítulo da saga. Ou seja, não é algo extremamente obrigatório para quem deseja conhecer tudo sobre a franquia. Temos, em média, apenas meia hora de diálogos e animações inéditas, facilmente encontradas em vídeos compilados no Youtube.

Porém, o game foca na nostalgia. O fã mais fervoroso com certeza cantará as músicas de Utada Hikaru durante o apertar de botões. Mas, é bom deixar claro que o título não é algo totalmente inédito.

Melody of Memories = Theatrhythm Final Fantasy

Em meados de 2012, Theatrhythm Final Fantasy chegou ao Nintendo 3DS trazendo uma coletânea das principais músicas da série de RPGs. Tínhamos o apertar de botões e sequências rítmicas para pontuar e concluir diversos desafios. Foi um jogo com uma pegada única e diferente.

image-272319
As mecânicas de Melody of Memories são claramente “inspiradas” em Theatrhythm Final Fantasy

Em 2019, a Square Enix anunciou Kingdom Hearts: Melody of Memory. Um jogo musical que trazia uma jogabilidade muito semelhante ao que vimos em Theatrhythm. Entretanto, o produtor Tetsuya Nomura garantia que o game seria algo inédito, algo nunca antes visto.

Que papelão, Nomura!

Melody of Memory é um game rítmico onde pressionamos botões em sequências diversas para obter notas como “Good” e “Excelent”. Ao errar, levamos um belo “Miss” e uma barra de vida diminui a cada falha até chegar ao sonoro “Game Over”. São os mesmos elementos encontrados em Theatrhythm, mas sem as mecânicas da tela Touch do Nintendo 3DS. E elas fizeram muita falta. 

Temos o controle de três personagens que percorrem três faixas musicais. O jogador deve alternar entre botões e ações para acertar a maior quantidade de notas possíveis. Existem comandos para acertar notas em sequência, em planos baixos, superiores ou simultâneos. Parece difícil no começo, mas os comandos são de fácil aprendizagem.

Infelizmente,  Kingdom Hearts: Melody of Memory não seguiu o bom exemplo das fases bem elaboradas Theatrhythm Final Fantasy.

A falta de cuidado é o grande vilão de Kingdom Hearts: Melody of Memory

O maior defeito do game são o excesso de elementos na tela em vários momentos. No percorrer dos níveis, a dificuldade aumenta e novos obstáculos são inseridos aos desafios rítmicos. Entretanto, os produtores não tiveram o cuidado em trazer elementos de fácil interpretação como ocorreu em Theatrhythm.

image-272320
Na maioria das músicas, o gameplay é fluido e de fácil aprendizagem.

No game de 3DS, as notas musicais seguem por linhas de fácil interpretação em um plano 2D. Melody of Memory tenta copiar o gameplay ao portá-lo para um cenário repleto de elementos 3D como inimigos e obstáculos. Infelizmente, a quantidade destes elementos chega a ser absurda e desproporcional.

Por vezes, temos Heartless gigantes bloqueando o campo de visão de outros inimigos da fase. Em outros momentos, os inimigos de níveis superiores (alcançáveis através de “pulos”) torna-se adversários de solo, mas sem mudar qualquer elemento visual, confundindo o jogador. Mesmo tentando se guiar pelas notas, muitas vezes falhamos ao encarar tantos objetos “gritantes” na tela. Uma verdadeira poluição visual que prejudica o gameplay.

image-272321
O jogador precisa de atenção para não confundir-se com os vários elementos em tela, principalmente aqueles que bloqueiam sua visão do cenário.

Outro grave problema são algumas falhas rítmicas. Aqueles acostumados com jogos musicais rítmicos conseguem acompanhar a música pela “batida”. Temos bons exemplos como os jogos da série Hatsune Miko e Persona Dancing. Em Melody of Memories, muitas faixas possuem batidas musicais que não condizem com as notas no cenário.

Por várias melodias, você segue um ritmo semelhante. Até chegar a uma faixa específica de uma música adiante que possui uma batida completamente diferente, sem qualquer explicação ou mudança visual.

image-272322
Algumas vezes, o ritmo da música não condiz com os comandos.

Ao jogador resta apenas acostumar-se com os pequenos defeitos e reaprender o que fazer em cada uma das melodias mais complicadas.

Um espetáculo feito para todos

O modo principal do game é o World Tour, que funciona como a “história” do jogo. Ao passar por diferentes músicas e estágios, enfrentamos chefes nas faixas chamadas Memory Dive. Nela, as principais batalhas dos jogos da série são contadas como batalhas musicais com animação ao fundo. Os personagens dos times mudam conforme o andar da campanha, com pequenas participações dos personagens dos oito jogos principais da saga.

Let It Go é uma das muitas faixas Memory Dive. (Vídeo: DUCK360Gaming)

A dificuldade do game é algo interessante. Com três diferentes níveis, o jogador pode progredir facilmente entre eles para aprender melhor o “estilo de cada música”. Em Beginner, podemos passear pelas faixas. Standard é o nível normal, que traz um desafio de fácil assimilação. Em Proud temos o verdadeiro desafio, mas nada impossível de ser alcançado. Infelizmente, algumas faixas sofrem pelos problemas visuais e rítmicos mencionados anteriormente. 

As faixas contra chefes como as Memory Dives apresentam três opções de dificuldades, divididas em: One Button (preocupe-se apenas em apertar um botão no rítmo); Basic (três linhas de notas); e Performer (que aumenta a quantidade notas e botões além do básico).

Kingdom Hearts: Melody of Memory
image-272323
As cenas em CG de Kingdom Hearts: Melody of Memory não decepcionam.

Ao concluir os diferentes estágios e desafios, diversos itens colecionáveis, vídeos e faixas são desbloqueadas no modo Museum. A coletânea é excelente, com um catálogo completo de inimigos, aliados, cenas, vídeos e músicas acessíveis a qualquer momento.

O multiplayer do game é um show à parte. É possível curtir partidas cooperativas e competitivas offline no sofá com seu amigo ao lado ou aventurar-se nas competições online. Em nossos testes no Nintendo Switch, não faltaram adversários em divertidas batalhas musicais.

Uma aventura inesquecível em Kingdom Hearts: Melody of Memory

Apesar das falhas, Kingdom Hearts: Melody of Memory é um jogo feito para apaixonados pela série. Cada música é trabalhada para trazer um sentimento de nostalgia ao jogador que visitou por tantos anos os vários mundos da Disney, trocando as batalhas do Action RPG por disputas rítmicas. Com a série chegando aos seus 18 anos, o gameplay musical foi um presente bem-vindo à maioridade de Sora.

*Análise realizada com uma cópia do Nintendo Switch.
** Com imagens retiradas do site oficial da Nintendo.

Positivo

  • Uma excelente seleção musical
  • Dificuldade balanceada com vários níveis
  • As músicas e batalhas especiais dos Memory Dives

Negativo

  • Poluição visual com vários elementos em tela
  • Alguns ritmos não condizem com os comandos
  • História inédita muito curta

Resumo

Com uma ótima seleção musical e elementos marcantes para os fãs de Kingdom Hearts, Melody of Memory comete alguns erros que atrapalham o gameplay do jogo musical rítmico. Entretanto, o título é uma emocionante celebração aos quase 20 anos da saga de Sora e seus amigos.
7.5

Bom

Jornalista, analista de mídias e sergipano com orgulho. Apaixonado por "quase" tudo que vem do Japão, em especial animes e jogos. Um eterno sonhador que sempre busca novos desafios!