Análise | Mônica e a Guarda dos Coelhos

Análises PC PS4 Switch Xbox One
8

Ótimo

Uma ótima pedida para juntar toda a família e passar horas no sofá.

Após um logo tempo longe dos video games, a Turma da Mônica está de volta em uma nova aventura: Mônica e a Guarda dos Coelhos. Dessa vez, Mônica e Sansão devem defender o Reino dos Coelhos do ataque dos terríveis monstros de sujeira.

A narrativa do jogo é bem simples e tem como base um público bem jovem. Esqueça uma história cheia de diálogos e um arco complexo. Sua missão nesse game é ajudar uma estrela que caiu do céu a voltar para casa, ou pro espaço. Durante toda a narrativa, a estrela quem explica à turma o que deverá ser feito e para onde ir.

A mecânica de Mônica e a Guarda dos Coelhos é bem simples, você deve proteger o castelo utilizando os canhões que estão posicionados nas laterais do castelo. Cada canhão deverá ser carregado com pólvora e um coelho específico. Existem três tipos de coelhos que podem ser produzidos: Sansão – Coelho azul -, que causa dano nos monstros de sujeira. Dalila – coelho rosa -, que deixa os inimigos lentos por alguns segundos. E Hércules – coelho amarelo – que paralisa os inimigos por um período de tempo.

Seleção de personagens

Os inimigos não são tão diversos como esperado. Temos soldados que atacam o castelo de perto; arqueiros que atiram flechas de posições mais distantes; magos que transformam uma unidade em um super monstro de sujeira – que quando destruídos liberam mais cinco unidades do mesmo tipo; unidades que deixam as tropas mais fortes enquanto estiverem na aura do inimigo e monstros que sujam o canhão, impedindo que ele atire até que seja limpo. É uma variedade que poderia ser suficiente, mas depois de 20 estágios, fica muito repetitivo e fácil vence-los.

Os maiores desafios de Mônica e a Guarda dos Coelhos estão dentro dos castelos, cada um tem uma configuração diferente e tem elementos que auxiliam, ou atrapalham os jogadores. Alguns castelos tem alavancas que mudam a mira dos canhões, teletransporte que levam os personagens ou materiais para outra parte do castelo, esteiras que auxiliam no transporte de materiais ou interruptores que bloqueiam alguns caminhos e liberam outros.

Um dos primeiros castelos

A dificuldade inicial proposta é bem fácil e não traz muitos desafios para os jogadores. A maioria das fases podem ser vencidas com apenas um jogador, mas do meio das fases para o final, fica quase impossível vencer tudo sozinho. Por isso o título da suporte para até quatro pessoas. E muda muito a jogabilidade, pois as tarefas podem ser facilmente resolvidas caso o time esteja bem entrosado, ou ser um completo caos. Durante o gameplay, foi muito divertido ver como o game dá uma sensação de urgência diante de um ataque iminente, caso a turma não esteja preparada para o combate.

Infelizmente a interação cooperativa está limitada ao coop local, pois o suporte para multiplayer online não está disponível. Mas nada que estrague a diversão.

Mônica e a Guarda dos Coelhos é um título bem divertido que traz um pouco da nostalgia da nossa infância, nos dando o controle dos personagens da Turma da Mônica em mais uma aventura. E por mais que o jogo seja bem curto, com apenas 20 castelos. O fator replay é garantido, pois cada nível traz mais dificuldades e exige um nível de cooperação cada vez maior dos jogadores. É uma ótima pedida para quem quer juntar amigos ou se divertir com os filhos nessas ferias escolares.

Positivo

  • Bastante divertido
  • Cooperativo de até quarto pessoas

Negativo

  • Jogo um pouco curto
  • Poucas explicações no início sobre os tipos de coelho
  • Não tem modo cooperativo online

Resumo

Um jogo bem simples, focado no público infantil e que atende ao proposto: divertir os jogadores. Uma ótima pedida para juntar toda a família e passar horas no sofá.
8

Ótimo

Programador, hater e as vezes gamer.