Análise | Persona Dancing: Endless Night Collection

Análises
8

Ótimo

Dance e curta uma boa ao lado dos personagens dos principais jogos da franquia Persona.

oÉ fato que Persona é um dos maiores sucessos da Atlus. Com a fama, surgiram os spin-offs. Começou com o Persona Q para Nintendo 3ds, um RPG de exploração de masmorras, e Persona 4 Arena, game de luta com mecânicas parecidas com Guilty Gear e Blaz Blue. Eis que em 2015, a Atlus resolve inovar com Persona 4: Dancing All Night, jogo musical com troca de comandos exclusivo para o PS Vita. A Atlus então decidiu expandir os horizontes com mais 2 títulos. Nesta análise, avaliaremos a coletânea Persona Dancing: Endless Night que engloba todos os três da série: Persona 3: Dancing Moonlight, Persona 4: Dancing All Night (título original do PS Vita relançado para o PlayStation 4) e Persona 5: Dancing Starlight.

A mecânica dos três games é semelhante. O game consiste em apertar uma sequência de seis botões (triângulo, quadrado, “X”, cima, baixo e esquerda) no ritmo da música de fundo. Aqueles que jogaram títulos como DJ Max ou Hatsune Miko irão se familiarizar rapidamente com as mecânicas de jogo em poucas partidas. Acertando as sequências, a “Groovy Gauge” (barra que mede sua audiência com o público) vai aumentando. A cada erro, a barra diminui e zerá-la significa “Game Over”.

Um elemento adicional nos Personas Dancing são os “Scratchs”, círculos que surgem durante a música e devem ser acionados no momento certo tocando no direcional (tanto o esquerdo quanto o direito).  Errar ou deixar de realizar um “Scratch” durante a música não diminui a barra “Groovy”, mas acertá-lo irá aumentar a pontuação dos comandos seguintes, consequentemente aumentando a mesma barra mais rápido. Usar este comando, além de melhorar a pontuação geral, faz com que as músicas ganhem efeitos de remixagens de DJs. É algo bem interessante e que diferencia Persona Dancing de outros jogos musicais.

Os scratchs são excelentes chances de aumentar a pontuação geral.

Os três Persona Dancing não são fáceis. Se você tiver experiência com outros jogos musicais de ritmo, a aprendizagem das mecânicas pode ser algo simples. Se não, bem, é bom ter paciência e ir aprendendo aos poucos. Começar pela dificuldade Easy nas músicas não é nenhum pecado. Aprendendo cada batida e ritmo das melodias em uma dificuldade menor irá facilitar sua vida quando migrar para as demais dificuldades. E isso vai levar um bom tempo. Ao todo, são quatro níveis de dificuldade: Easy, Normal, Hard e All Night (esteja preparado para conhecer o Inferno nesse nível).

Os controles já implementados no Persona 4: Dancing All Night original do Vita foram melhorados e perfeitamente aplicados no PlayStation 4. Os comandos se encaixam perfeitamente, e o desempenho do jogador irá depender do seu preparo e conhecimento da música.

Muitas vezes, os Persona Dancing são cruéis no tocante a dificuldade. São diversos botões espalhados por vários cantos da tela, sendo que alguns deles precisam ser apertados juntos ou pressionados durante alguns segundos. Nos modos iniciais de dificuldade, isso é simples de se realizar. Porém, nos níveis Hard e All Night, dificuldade é algo extremamente surreal. E isso é agravado ao se jogar em televisores. Na tela do Vita, o jogador pode visualizar todos os comandos de maneira mais precisa. O mesmo não ocorre nas versões de PlayStation 4, com uma ligeira dificuldade em visualizar todos os itens na tela da TV.

Manter um combo alto é a melhor maneira de sobreviver em Persona Dancing.

Sobre a história, ela praticamente não existe, salvo em Persona 4: Dancing All Night. No primeiro jogo da série Dancing, os personagens do quarto título de Persona devem resolver um mistério envolvendo a cantora Rise Kujikawa e sua colega de palco Kanami Mashita. Misteriosamente, Shadows estão atacando novamente, mas desta vez através da música. Não podendo utilizar ataques, os personagens precisam derrotar os inimigos… dançando. Simples assim.

Persona 3: Dancing Moonlight e Persona 5: Dancing Starlight não possuem enredos tão elaborados. Em ambos, os personagens devem enfrentar os desafios musicais impostos pelas anfitriãs da Velvet Room Elizabeth (Persona 3), Justine e Caroline (Persona 5) para decidir qual delas possui o melhor grupo de dançarinos se comparados a Margaret (Persona 4). E pronto, nada mais.

Existe alguns diálogos, os Social Links, entre os personagens. As conversas são, em sua maioria, relacionadas às danças e performances. Nada que acrescente algo a história original dos RPGs. Ao acompanhar essas conversas, o jogador libera itens como roupas, bonés e acessórias para incrementar o visual dos personagens.

A interação com os parceiros de dança possibilita momentos memoráveis.

Mesmo que não goste de games musicais, o fã de Persona vai amar os Persona Dancing pela trilha sonora. As melodias ficam a cargo dos compositores originais da série Shoji Meguro, Atsushi Kitajoh e Toshiki Konishi, supervisionados por Ryota Kozuka, encarregado original do Persona 4: Dancing All Night. Diversos DJs como Jazztronik, KAIEN e tofubeats emprestam seus talentos para compor versões remixadas das músicas originais. Em média, cada título possui entre 26 e 30 composições, um número relativamente pequeno se levar em consideração que algumas músicas possuem três versões remixadas, a exemplo de Last Surprise (música de batalha de Persona 5).

No geral, os três Persona Dancing agradam. Para os fãs dos RPGs originais, são excelentes títulos para reencontrar os personagens e despertar a nostalgia. Embora tenham enredos rasos e vazios, as animações e as músicas são excelentes. De fato, a Atlus conseguiu transformar a Velvet Room numa verdadeira pista de dança.

*Análise realizada com cópia oferecida pela Atlus.

Positivo

  • Excelente trilha sonora
  • Bons gráficos
  • Diversos níveis de desafio

Negativo

  • Os Personas Dancing 3 e 5 possuem uma história fraca
  • Algumas músicas possuem muitas versões remixadas, dando um clima de "mesmice"
  • Tutorial mediano e que não ajuda muito no treinamento

Resumo

Dance e curta uma boa ao lado dos personagens dos principais jogos da franquia Persona.
8

Ótimo

Jornalista, analista de mídias e sergipano com orgulho. Apaixonado por "quase" tudo que vem do Japão, em especial animes e jogos. Um eterno sonhador que sempre busca novos desafios!