Análise | Röki, um conto escandinavo

Análises PC
8

Ótimo

Conheci Röki através de uma demonstração disponível durante o Festival de Jogos da Steam. O visual do game, além da premissa baseada no folclore escandinavo são características que ocasionaram o interesse no game e na história de Tove.

Quando as histórias se tornam realidade

Tove vive com seu pai e seu irmão Lars. O pai das crianças não é muito presente. Causa um pouco de revolta, inclusive, ter que ver Tove preparar a comida e cuidar do irmão enquanto o pai dorme.

A presença do folclore é percebida na vida das crianças logo de início, quando Tove chama seu irmão mais novo de “Tomte”, uma espécie de duende escandinavo. Lars diz que enxerga criaturas na floresta, mas para Tove tudo não passa de uma brincadeira e trolls, tomtes e gigantes estão presentes somente em histórias.

A opinião de Tove muda quando uma criatura enorme ataca a casa da família. Eles têm que fugir às pressas – enquanto o pai continua dormindo – e no processo da fuga, Lars é raptado e levado a um portal. Ao segui-lo, Tove se encontra em uma nova realidade, com árvores falantes e criaturas que só existiam em livros.

Uma criatura estranha quebra a realidade de Tove em Röki
Uma criatura estranha quebra a realidade de Tove

Agora Tove deve buscar ajuda para encontrar seu irmão, despertar os guardiões adormecidos e ajudar novos amigos que serão feitos no caminho.

Um point-and-click diferente

Jogos do gênero point-and-click normalmente consistem em um cenário onde o jogador interage clicando ou arrastando objetos. A gameplay em Röki é parecida. O jogador deve clicar para interagir e coletar objetos. Para seguir em frente e solucionar quebra-cabeças, é preciso arrastar o objeto da mochila de Tove para o ambiente. Também é possível arrastar um objeto em direção a outro para combiná-los.

Em Röki, você deve arrastar os objetos da mochila para o cenário
Você deve arrastar os objetos da mochila para o cenário

Diferente de um point-and-click, porém, o jogador que decide aonde deve ir em seguida, o que lhe dá controle do personagem e liberdade para ir e voltar nos cenários livremente. Porém Röki contém algumas limitações. Não é possível controlar Tove, por exemplo, enquanto sobe ou desce escadas. Quando se clica uma vez, a garota irá subir ou descer, o que pode ser cansativo caso o jogador acabe dando um “miss click“, tendo de esperar Tove descer completamente para depois clicar novamente e subir.

A jornada de Tove

A jornada de Tove é mais longa do que eu imaginava e isso não é uma coisa ruim. Demorei cerca de 17 horas para terminar Röki, que traz uma personagem feminina corajosa que faria tudo pela sua família. Com o andar da narrativa, o motivo do pai de Tove ser tão ausente é explicado e o game trata da depressão, mesmo que de forma superficial, sem tocar diretamente no assunto.

Tove conhece todo tipo de criatura em Röki
Tove conhece todo tipo de criatura

A obra não possui uma dublagem propriamente dita. Tove expressa suas emoções por meio de exclamações de surpresa ou pavor. Quando algo não dá errado, podemos escutar um grunhido irritado. Algumas palavras, contudo, podem ser ouvidas, como o nome dos personagens. Ao pensar em Lars, Tove diz o seu nome.

E… Röki? Por que o jogo possui esse nome? Röki está relacionado ao rapto de Lars e o motivo. Para descobrir, você terá de jogar.

Siga o Pulo Duplo nas Redes Sociais!

Positivo

  • Contém elementos do folclore escandinavo, mostrando além do que é mais conhecido
  • Personagem feminina forte e corajosa
  • Elementos point-and-click, mas com maior liberdade de movimentação

Negativo

  • O controle de Tove poderia ser mais livre, principalmente na hora de subir e descer escadas
8

Ótimo

Amante de livros, séries, mangás e claro, amante de jogos, principalmente aqueles com uma ótima e profunda história. Estuda pedagogia porque precisa trabalhar para comprar os games no lançamento.