fbpx

Análise | Samurai Warriors 5 – Muita história e porrada

Gaming Switch Xbox One Xbox Series
8.5

Ótimo

Com gráficos incríveis e mecânicas simples, Samurai Warriors 5 traz sangue novo ao tradicional gênero Musou da Koei Tecmo e Omega Force.

Finalmente, Samurai Warriors 5 está entre nós. O quinto título da série spinoff de Dynasty Warriors chegou com a promessa de trazer o popular gênero Musou popularizado pela Koei Tecmo para um novo capítulo. As expectativas eram altas, já que Dynasty Warriors 9 não agradou o público e a crítica especializada. Outro ponto que pesou bastante foram os recentes Hyrule Warriors: Age of Calamity e Persona 5 Strikers, sucessos de críticas e vendas.

Em quesito de renovação, Samurai Warriors 5 conquistou seu objetivo. O game revitaliza tudo o que já foi apresentado nos jogos anteriores, com novos modos, elementos e até itens emprestados de outros jogos como o próprio Hyrule Warriors e One Piece Pirate Warriors. Com um visual completamente belo e renovado e pequenas melhorias na jogabilidade (ainda com seus problemas), o título é uma grata surpresa para antigos e novos jogadores do gênero de “destroçar milhares de inimigos”.

Uma aula de história japonesa, só que divertida

O game conta a história do Japão no período conhecido como Sengoku. De início, vemos a história de Oda Nobunaga, herói para muitos e vilão para outros. Outras figuras marcantes como Ieyasu Tokugawa, Mitsuhide Akechi, Hideyoshi Hashiba e vários outros.

Diferente do que aconteceu nos últimos jogos da franquia, a história recontada com novos e belos gráficos trazem um ar de novidade. Não apenas os gráficos foram revitalizados, mas a própria dublagem (japonesa) e narrativa dos eventos históricos sofreram melhorias significativas. Um trabalho impecável por parte do estúdio de desenvolvimento Omega Force.

image-277081
O irmão mais novo de Nobunaga, Nobuyuki, é retratado como um herói em Samurai Warriors. A maioria dos historiadores acredita que o membro do clã Oda traiu o irmão mais velho.

Apesar de maneira bastante resumida, vemos toda a jornada de Nobunaga e várias outras figuras históricas que resultaram na unificação do Japão como uma única nação. Com uma dublagem e animações em vídeo dignas dos melhores animes shounen. Vale frisar, muito melhor que o anime lançado em 2014.

Alguns jogadores podem não gostar da imensa quantidade de diálogos, alguns com poucas ou quase nenhuma animação, com elementos que lembram visual novels. Outro problema é que os diálogos são dublados em japonês, com localização para várias línguas, menos em português. Apesar disso, com paciência, podemos apreciar a rica história.

Novos modos para destroçar exércitos

Além do clássico modo história (aqui chamado de Musou), Samurai Warriors 5 traz o renovado modo Citadel. No primeiro, acompanhamos a história da Unificação do Japão em sua totalidade, com foco nos momentos mais críticos. São diversos cenários e missões que contam a mesma história do ponto de vista de vários personagens. Algo comum para títulos do gênero, mas executado de maneira gloriosa nesta edição. Após concluir um cenário no modo história, você pode visitá-lo no Free Mode, escolhendo seus personagens favoritos independente dos acontecimentos históricos.

image-277082
O modo Citadel oferece recompensas tentadoras

Já o modo Citadel traz batalhas livres, em sua grande maioria focadas na defesa de territórios. Aqui, sua pontuação é determinada não apenas pela conclusão de missões, como também pela execução vasta de combos, eliminação de inimigos específicos, tempo de conclusão e outros elementos. Ao concluir, o jogador ganhará recompensas específicas em cada cenário, em ranks que variam entre notas D, C, B, A e S.

Ambos os modos trazem a aba My Castle, uma oficina para administrar seus recursos e personagens. Temos também o Dojo para treinar personagens, a Blacksmith para desenvolver armas, a Shop para comprar itens e o Stable, um estábulo para cuidar dos seus cavalos.

image-277083
Foque nas duplas para reforçar os laços de amizade

Um dos grandes atrativos do Citadel é o fortalecimento dos personagens e amizade entre eles. Em Samurai Warriors 5, as batalhas são focadas em duplas. Dependendo das duplas usadas neste modo, o jogador pode fortalecer a amizade entre os personagens, desbloqueando novas animações de batalha, pequenos trechos de história e habilidades especiais.

Roupa nova, mas velhos problemas

Apesar de reinventado, Samurai Warriors 5 peca bastante com um dos velhos inimigos dos jogos do gênero: a câmera. O jogador possui a opção de controlar livremente o ângulo de visão e a camêra, mas infelizmente, não é o suficiente. Você pode subir uma escadaria, derrotando inimigos e acabar com um ângulo travado nos degraus, não visualizando a batalha como um todo. O mesmo pode acontecer com uma árvore ou rocha, com vai atrair a câmera como um imã, deixando seu personagem em segundo plano.

Os desenvolvedores melhoraram bastante os golpes especiais e habilidades do jogo. Você não vai correr o risco de soltar um especial e errar o alvo miseravelmente. Controlando o ângulo de câmera, o jogador pode redirecionar o personagem na direção certa, atingindo os inimigos que você deseja.

image-277084
Para preservar a fluidez nas batalhas, o jogo optou por manter uma pouca variedade de inimigos e tropas aliadas.

Diferente dos recentes Persona 5 Strikers e Hyrule Warriors: AoC, o jogo peca pela falta de originalidade dos cenários. Todos são muito semelhantes entre eles, com pouca variedade de elementos visuais e uma sensação de Deja Vu durante sua jornada.

A navegação também é um grande problema. O jogador precisa ficar atento ao mapa geral do cenário e correr contra o tempo para eliminar seus inimigos o mais rápido possível. Ao eliminar os adversários de um ambiente, ele precisa manter a taxa de combos e seguir batendo desesperadamente em outros inimigos. Algo bastante chato, já que mantém o apertar frenético de botões sem sentido. Para aqueles que gostam de personagens fortes e lentos, é um verdadeiro sofrimento conquistar um nível S nos combos gerais.

Samurai Warriors 5 e seu combate renovado

Apesar dos problemas, o jogo é um Musou. Logo, espere por horas de pancadaria contra hordas de inimigos. O estúdio Omega Force trouxe várias opções de golpes e habilidades para os personagens, onde o jogador pode escolher apenas 4 deles.

Alguns golpes focam na velocidade, outros em dano e alguns em área. Eles não gastam barras de especial (a chamada Musou energy), são carregadas com o tempo. O mesmo ocorre com as habilidades que melhoram seus atributos como ataque, defesa e velocidade por curtos períodos.

image-277085
Com uma árvore de skills no melhor estilo Final Fantasy X, será preciso grindar bastante para otimizar seus personagens favoritos

A movimentação também foi melhorada, com uma maior importância para o uso dos cavalos do jogo. Tanto que os animais atuam como verdadeiros suportes, dando locomoção acelerada aos lutadores. No geral, cavalos são essenciais para conseguir altas pontuações no game. 

Bonitinho, mas ordinário

Já mencionamos que o game possui belos gráficos, mas o desempenho também é otimizado nos combates. O normal dos jogos Musou é, no máximo, manter a taxa dos 30 fps. Nas plataformas PS5, Xbox Series e PC, o jogo consegue atingir fácil os 60 fps, gerando lágrimas de felicidade aos olhos de quem joga.

Infelizmente, o mesmo não pode ser dito das versões de PS4, Xbox One e Switch. O console da Nintendo, na qual jogamos a versão final do jogo para esta análise, sofre em vários momentos com quedas na taxa de frames, em especial em momentos com dezenas de inimigos na tela. O mesmo ocorre no Xbox One e PS4, mas ocasionalmente e em poucos cenários.

image-277086
É preciso cuidado para não se perder nos cenários

Porém, para conseguir otimizar a velocidade nos combates, os desenvolvedores optaram em manter uma baixa variedade de inimigos. Você derrotará os mesmos personagens centenas de vezes, incluindo os generais dentro dos exércitos. Talvez o recurso seja comum ao jogo, mas no momento que a variação de inimigos é definida pela cor, vemos a limitação no desenvolvimento. Algo que não aconteceu nos recentes sucessos Hyrule Warriors: AoC e Persona 5 Strikers, os mais bem avaliados jogos do gênero na atualidade.

Infelizmente, para os donos de consoles da nova geração, o jogo foi desenvolvido com foco central nas plataformas das gerações passadas. Tirando o fps, as versões são praticamente idênticas. Pelo menos, tudo flui de maneira simples, porém eficiente. Algo diferente do que acontecia em Dynasty Warriors 9, onde os cenários demoravam para renderizar e os personagens simplesmente surgiam do nada.

Samurai Warriors 5 tropeça, mas não caí

Samurai Warriors 5 é um bom jogo. Não é o melhor musou da história (título pertencente ao Hyrule Warriors: AoC), mas consegue trazer um ar de renovação ao jogo. Com mais de 40 personagens, o game traz uma jogabilidade divertida, apesar de desafiante, e novidades como o modo Citadel.

image-277087
Escolha o seu favorito e divirta-se

Na verdade, muito do que é “novo” no game é derivado de outros jogos musou da Koei Tecmo. Apesar de tudo, o resultado final é um título belíssimo visualmente, com uma história bem narrada (vale frisar que é baseada em fatos reais) e um desafio na medida. Para fãs de história japonesa e animes, um ótimo título. Para fãs do gênero musou, o game é um item obrigatório.

*Análise realizada com versões do Nintendo Switch e Xbox Series S

Positivo

  • Belos gráficos
  • Novos modos
  • Boa história

Negativo

  • Pouca variedade de inimigos
  • Cenários repetitivos
  • A queda de frames, em especial na versão de Switch

Resumo

Com gráficos incríveis e mecânicas simples, Samurai Warriors 5 traz sangue novo ao tradicional gênero Musou da Koei Tecmo e Omega Force.
8.5

Ótimo

Jornalista, analista de mídias e sergipano com orgulho. Apaixonado por "quase" tudo que vem do Japão, em especial animes e jogos. Um eterno sonhador que sempre busca novos desafios!