Análise | Skelattack – Derrote os humanos nas masmorras

Análises PC PS4 Switch Xbox One
8

Ótimo

Diversos jogos usam exploração de masmorras de diversas formas diferentes e inovadoras. Na maioria deles, você é um aventureiro(a) que deve derrotar os monstros para seguir em frente. Mas não em Skelattack!

Em Skelattack você é o monstro que deve proteger seu lar, as masmorras, dos humanos que a adentram em busca de riquezas. O jogador controla Skully, uma caveira simpática que convive bem com todos desde que chegou ao mundo dos mortos, Aftervale, há alguns anos. Ele está sempre na companhia de Imber, o divertido morcego.

A aventura começa quando Skully é chamado pelo ancião que diz que ele está pronto para lembrar de quem ele foi em vida, um ritual pelo qual todos em Aftervale devem passar. Porém, a jornada de Skully em busca do seu passado é interrompida pelos humanos que raptam o ancião. Com coragem e habilidade de combate acima do normal, Skully recebe a tarefa de resgatá-lo junto com Imber.

Humanos são os inimigos em Skelattack
Humanos são os inimigos!

Morra de novo e de novo

Logo no início você pode ver em Aftervale um contador de mortes, que irá aumentar muito a sua contagem conforme você avança nas masmorras. Inimigos, armadilhas e o próprio cenário causam dano e portanto você irá morrer diversas vezes no seu caminho.

O game é bem desafiador e requer paciência em diversos momentos (aquele autocontrole para não jogar o controle na tela). Ao morrer você retorna ao check-point anterior, que é encontrado em abundância pelo mapa, deixando as coisas menos estressantes.

Quase tudo pode matar Skully em Skelattack
Quase tudo pode matar Skully

Conforme você explora e derrota os humanos, recebe cristais que são utilizados para melhorar os status de Skully. Porém, em um estilo Dark Souls, quando você morre parte dos cristais fica no local e você pode recuperá-los se não morrer novamente no caminho.

Seria Skelattack um Metroidvania?

O estilo de Skelattack pode dar a entender que o jogo se trata de um metroidvania, mas para ser chamado dessa forma, o jogo teria de fornecer habilidades para retornar a pontos anteriores do mapa que o jogador não conseguia acessar a princípio. Não é o caso aqui. O progresso em Skelattack é contínuo e se for a sua escolha, você não precisa retornar aos cenários anteriores.

Ao longo do caminho, você irá receber novas habilidades como o pulo triplo e utilizar de outras mecânicas, como ser transportado por Imber com ajuda do vento.

Imber é parte fundamental da aventura de Skelattack
Imber é parte fundamental da aventura

A história é divertida, porém…

Nem todos irão compreendê-la. Isso porque Skelattack não possui legendas em PT-BR. Mas se você entende o inglês, poderá se divertir com Skully e Imber que são bem afiados no humor.

Skelattack é um jogo curto. Caso você progrida continuamente, deve terminar o jogo por volta de quatro horas, o que não é ruim, considerando que o jogo pode se tornar cansativo devido a dificuldade.

Skelattack é fruto de uma parceria entre a Konami e a desenvolvedora de jogos independentes Ukuza. A Konami tem como objetivo “considerar novos projetos como esse em nosso portfólio daqui para frente”, então veremos títulos indies sendo divulgados pela empresa, o que é uma ótima notícia. Espero que outros indies como Skelattack ganhem notoriedade e que possamos jogá-los em breve.

O game está disponível no PC, Nintendo Switch, Xbox One e PlayStation 4. Essa análise foi feita com chave fornecida para o PC.

Siga o Pulo Duplo nas Redes Sociais!

Positivo

  • Inversão de papéis interessante
  • Personagens divertidos e carismáticos
  • Desafiador

Negativo

  • Sem legendas em PT-BR

Resumo

Skelattack inverte os papéis e te coloca como o "monstro" que deve combater os humanos que adentram seu lar, as masmorras.
8

Ótimo

Amante de livros, séries, mangás e claro, amante de jogos, principalmente aqueles com uma ótima e profunda história. Estuda pedagogia porque precisa trabalhar para comprar os games no lançamento.