Análise | Streets of Rage 4

Análises PC PS4 Switch Xbox One
9

Incrível

Streets of Rage, assim como outros games do gênero beat ’em up, foi uma franquia de suma importância para os videogames nos anos 90. Jogadores e seus amigos podiam usar seus punhos para enfrentar hordas de membros do Sindicato que os cercavam nas ruas. Assim como muitos fãs dos games dessa época, aguardei ansiosamente pelo lançamento de Streets of Rage 4 desde o seu anúncio a fim de reviver essa experiência. Felizmente, não me decepcionei.

Axel Stone retorna da aposentadoria em Streets of Rage 4

Velhos conhecidos voltam da aposentadoria e trazem sangue novo

Jogar uma continuação de Streets of Rage depos de tantos anos é como ver sua banda de rock favorita voltar da aposentadoria com seus integrantes originais para um show especial. No caso desse game, Axel, Blaze e Adam são os integrantes da banda, e a limpeza das ruas com seus murros e chutes é o show.

Novos membros foram incorporados ao time para auxiliar o trio nessa nova empreitada. A ágil guitarrista Cherry Hunter, filha de Adam, veio para adicionar um ritmo veloz ao combate contra o Sindicato. Por outro lado, o poderoso Floyd Iraia e seus braços biônicos contribui com mais peso, um arsenal tecnológico e força bruta para os time de lutadores. Ambos os personagens trazem abordagens de gameplay inovadoras, sem perder a essência da franquia.

Mantendo a jogabilidade clássica e criando mecânicas novas interessantes

A jogabilidade de Streets of Rage 4 pode ter mantido boa parte daquilo que os fãs gostariam de ver no título de beat ’em up. Socos, chutes, voadoras continuam a ser as ações principais, mas os especiais evoluíram bastante graças ao trabalho primoroso dos artistas que fizeram a arte e a animação do jogo.

Floyd Iraia pronto para derrubar o Sindicato em Streets of Rage 4

Anteriormente mais focados em combos ou participações especiais de um membro da polícia com uma bazuca, agora os especiais do quarto título da franquia trazem movimentos bem originais de cada personagem. Vemos Axel com seu poderoso gancho em chamas e Adam com seu Sword Strike, mas também vemos Cherry com uma belíssima entrada de palco derrubando quem estiver no caminho e Floyd com um canhão que lembra o Homem de Ferro nos bons tempos de Marvel vs. Capcom.

Cherry Hunter trazendo orgulho para a familia Hunter em Streets of Rage 4

A manutenção do ritmo e da imersão

Varrer os integrantes de uma organização criminosa das ruas é um trabalho árduo, por isso uma trilha sonora estimulante como a composta para esse game é uma peça essencial. Além de imprimir o ritmo certo para a ação em cada fase, essa trilha sonora auxilia a manter o jogador imerso no ambiente que consegue ser caótico e visualmente interessante. A estética toda desenhada a mão é agradabilíssima aos olhos e funcionou muito bem para retratar tanto os personagens quanto as fases.

Meu plano era usar alguns dias para terminar o game com calma, mas a imersão proporcionada por todos esses elementos conseguiu me manter ligado pela madrugada logo depois que baixei o game. Optei por jogar no normal e consegui concluir o game relativamente rápido, umas 10 horas de jogo.

Axel e Blaze de volta ao jogo em Streets of Rage 4

Conclusão

Poderia dizer que o game ser curto seria um defeito, mas acredito que essa característica que foi definida no passado por limitações técnicas, hoje pode funcionar muito bem em nosso contexto atual onde há uma compressão de nosso tempo livre. Além disso, esse é um título que estimula o jogador a continuar explorando outros níveis de dificuldade, fase a fase para desbloquear os personagens clássicos dos títulos anteriores.

O único ponto que vejo como um possível defeito é que algumas partes das fases podem ficar ridiculamente fáceis, dependendo do personagem que for usado. Mas esse leve desequilíbrio é ínfimo em relação a toda a diversão proporcionada pelo conjunto.

Acredito que o mais importante a ressaltar sobre Streets of Rage 4 é que esse jogo veio no momento certo para os fãs do gênero beat ’em up. Minha vontade agora é chamar meus parceiros de luta para jogar online, deitar inimigos no soco e desbloquear todos os personagens disponíveis. Alguém se habilita?

Streets of Rage 4 será lançado no dia 30 de abril para PC, PlayStation 4, Xbox One e Switch.

Positivo

  • Trilha sonora estimulante, nostálgica e imersiva
  • Estética belíssima e adequada ao jogo
  • Inovações no gameplay sem perder sua essência
  • Novas técnicas de animação funcionaram bem para o game
  • Os novos personagens trazem macânicas originais

Negativo

  • Alguns estágios apresentam seções que são fáceis demais dependendo do personagem usado

Resumo

Muita nostalgia, trilha sonora estimulante, visuais renovados e um gameplay respeitável marcam um retorno digno para Streets of Rage.
9

Incrível

Aparentemente fragmentado, geralmente atarefado mas certamente engajado, este profissional do ramo bancário da seus pulos duplos no mundo dos games por ser fascinado pela forma como esta "arte" influencia os indivíduos.