Análise | The Medium e a história de Marianne

Análises PC Xbox Series
8.5

Ótimo

A Bloober Team vem se superando a cada novo jogo e, conforme mencionei na análise de Blair Witch, o game mostrou todo o potencial da desenvolvedora. Com The Medium, o projeto mais ambicioso, nas próprias palavras do time, será que a Bloober Team conseguiu se superar mais uma vez?

Marianne, a médium

O game nos apresenta Marianne que está voltando a sua cidade natal para o enterro do seu pai. Ela é uma médium e por isso é capaz de ver coisas alheias a pessoas comuns. Vemos um pouco das suas habilidades logo no início, no apartamento do seu pai, onde ela precisa encontrar um clipe de gravata. Usando a perspectiva, ela consegue encontrar e alcançar itens escondidos.

Marianne é adotada e seu falecido pai é o único que viu suas habilidades como um dom em vez de uma maldição. Ele era dono de uma funerária, então desde cedo a garota teve contato com a morte – e sua capacidade sobrenatural.

O Niwa é o principal cenário em The Medium
image-273252
Atender a ligação de um estranho e ir para um hotel mal assombrado? Por que não?

É na funerária que ela recebe uma ligação estranha de um tal de Thomas, que promete respostas com relação ao passado da médium e a um sonho recorrente que a atormenta: a morte de uma menina. A resposta para o mistério parece estar no hotel Niwa e é este o nosso destino.

O Niwa

O principal cenário de The Medium é um hotel abandonado. Sabe-se que ocorreu um massacre no Niwa, mas ninguém sabe o motivo. O local é cheio de ecos do passado, que também podem ser acessados com as habilidades de Marianne. Ao encontrar objetos com alguma história, ela consegue escutar vozes de quem os tocou pela última vez, ou de seus antigos donos.

O Niwa é sinistro e contribui muito para o clima de terror. Muitas vezes a câmera muda de perspectiva, em uma posição fixa, o que aumenta a tensão com o que está em frente.

Ecos podem ser encontrados em certos objetos em The Medium
image-273253
Ecos podem ser encontrados em certos objetos

É lá que você conhece Tristeza, uma garota que só pode ser vista no mundo espiritual, um dos fantasmas do local. Ela procura ajudar Marianne a encontrar Thomas e a leva em frente para descobrir seu próprio passado e verdadeiro nome.

Os dois mundos de The Medium

Como uma médium, Marianne consegue viver entre os dois mundos: real e espiritual. Quando ela se encontra em momentos de estresse, ela habita nos dois mundos ao mesmo tempo. Certas tarefas só podem ser executadas no mundo sobrenatural, como por exemplo, reconstruir memórias a partir de objetos.

As habilidades também só podem ser usadas no mundo espiritual e te ajudam a prosseguir em caminhos fechados no mundo real. A explosão espiritual pode carregar pontos que necessitam de energia. O escudo espiritual te protege de certos ataques e te permite passar por um enxame de insetos.

Em certas ocasiões, Marianne pode habitar nos dois mundos ao mesmo tempo
image-273254
Em certas ocasiões, Marianne pode habitar nos dois mundos ao mesmo tempo

Joguei The Medium no PC e infelizmente ele possui o mesmo problema de Blair Witch: uma má otimização. Possuindo os requisitos necessários, ao jogar com a tela dividida entre os mundos o fps caiam para menos de 30. Mesmo fora desses momentos, a performance não era das melhores.

The Maw, o vilão de The Medium

The Medium traz um vilão assustador, The Maw, que vive perseguindo Marianne convidando-a a ficar para sempre com ele. Ele é um ótimo antagonista que sempre me deixou tensa quando apareceu. De início ele está presente somente no mundo espiritual, mas logo ele ultrapassa essa barreira. No mundo real, ele não consegue ver, mas ouve muito bem.

The Maw é um ótimo vilão em The Medium
image-273255
The Maw é um ótimo vilão

The Maw é o ápice do terror no jogo e por isso mesmo senti falta de mais cenas com ele. The Medium é um jogo de terror psicológico, mas faltou uma tensão a mais. O game é mais focado em lhe contar a história da protagonista – que tem cenas aterrorizantes – não em lhe causar tensão ou sustos. Jogos focados em histórias não são ruins, eu somente senti falta de mais tensão enquanto explorava The Medium.

Conclusão

The Medium conta a história de Marianne e sua busca por respostas. No caminho, ela irá encontrar criaturas sinistras, principalmente o vilão The Maw, porém faltaram mais passagens com a criatura, para que o game fosse realmente tenso. Nesse quesito, acredito que Blair Witch é superior. Infelizmente não é possível aproveitar o jogo 100% no PC por causa da má otimização, fazendo com que a performance, principalmente nos momentos da tela dividida entre os dois mundos, deixe a desejar.

Siga o Pulo Duplo nas Redes Sociais!

Positivo

  • Boa ambientação
  • The Maw é um ótimo vilão
  • A resolução de puzzles é interessante com a ideia dos dois mundos divididos simultaneamente

Negativo

  • Má otimização no PC
  • The Maw poderia ser melhor aproveitado

Resumo

The Medium conta a história de Marianne e sua busca por respostas. Quem é a garota morta dos seus sonhos? No caminho, ela irá encontrar uma garota fantasma chamada Tristeza, criaturas sinistras, principalmente o vilão The Maw, o ápice da tensão no game.
8.5

Ótimo

Amante de livros, séries, mangás e claro, amante de jogos, principalmente aqueles com uma ótima e profunda história. Estuda pedagogia porque precisa trabalhar para comprar os games no lançamento.