fbpx

Análise | Wonder Boy: Asha in Monster World

Análises Gaming PS4 Switch
8

Ótimo

O remake Wonder Boy: Asha in Monster World é sucessor de uma antiga franquia plataforma de ação com elementos de RPG que fez sucesso nos anos 1980. Um fato curioso sobre a distribuição de seus jogos no Brasil foi que a Tectoy traduziu os textos da franquia Wonder Boy e substituiu seus personagens originais pela Turma da Mônica. Entre os títulos convertidos para aventuras dos personagens de Maurício de Souza podemos citar como exemplo Wonder Boy in Monster World, que se tornou Turma da Mônica na Terra Dos Monstros por aqui.

Diferente de Monster World IV, Wonder Boy: Asha in Monster World tem dubladores.

Porém, diferente de seus antecessores, Monster World IV (1994) não foi lançado no ocidente até 2008, quando chegou a Nintendo Wii pelo Virtual Console. Wonder Boy: Asha in Monster World é o remake de Monster World IV que manteve seu gameplay e a história originais, mas atualizou seus gráficos para 3D e algumas funções para melhorar a experiência para a geração atual.

A versão digital de Wonder Boy: Asha em Monster World pode ser adquirida nas lojas Nintendo e Sony e é publicada pela STUDIOARTDINK. A versão de varejo em caixa de Wonder Boy: Asha em Monster World vem exclusivamente com o Monster World IV original publicado pela ININ Games.

Resgate da história

Assim como o clássico Monster World IV de 1994, a guerreira Asha e seu companheiro Pepelogoo devem regatar os quatro espíritos elementais e salvar o mundo de um mal iminente. Durante sua jornada, a protagonista enfrenta inimigos, enigmas e quebra-cabeças para chegar aos quatro magos que aprisionaram esses espíritos e derrotá-los. Mesmo que seja uma aventura curta, a manutenção de sua história original funciona bem para quem curte esse clima nostálgico de games dessa época.

Jogabilidade clássica com algumas melhorias

Assim como outros títulos desse gênero, Wonder Boy: Asha in Monster World exige que seus jogadores entendam os padrões dos adversários para superar os desafios de cada fase. Por vezes, entender certos padrões pode ser irritante, mas o jogo apresenta um nível de dificuldade normal bem equilibrado. Mesmo com algumas situações mais complicadas em certas seções, tudo se torna claro depois de uma análise fria.

Uma alteração muito relevante em relação ao game original foi a possibilidade de salvar o progresso em qualquer momento, com exceção das lutas com chefes. Com esse recurso fica muito mais fácil de estudar como superar cada desafio, o que torna a experiência mais casual e adequada ao contexto atual.

Melhorias visuais e sonoras

Como esse remake tem como base um game de Mega Drive da época dos 16 bits, a reconstrução dos visuais, animações, trilhas e efeitos sonoras eram necessários. Além de toda a arte e as animações dentro do jogo terem sido feita em 3D, foram adicionadas trilhas e efeitos sonoros adaptados. Outra adição feita à experiência foi a inclusão de dublagem em japonês, tornando a aventura em Monster World mais imersiva.

Conclusão

O remake Wonder Boy: Asha in Monster World consegue entregar um game que não havia chegado ao ocidente 2008 como uma experiência interessante e adaptada ao contexto atual. Entretanto, mesmo com algumas melhorias visuais e ajustes na jogabilidade, a experiência parece mais uma remasterização do que um remake. Dessa forma, o jogo funciona como uma restauração do clássico sem mudar sua natureza, mas pode ter perdido uma chance de ressuscitar a franquia e criar espaço para novos títulos de impacto na próxima geração.

Positivo

  • Resgate do clássico Monster World IV
  • Melhorias gráficas
  • Trilha sonora, dublagem em japonês e efeitos melhorados
  • Jogabilidade aperfeiçoada
  • Experiência equilibrada e divertida

Negativo

  • É um remake que parece mais um remaster
  • Perde a oportunidade de inovar e dar continuidade à franquia

Resumo

Wonder Boy: Asha in Monster World é nostálgico e consegue trazer de volta a experiência original de Monster World IV com várias melhorias gráficas, sonoras, de jogabilidade. Mesmo que o jogo seja divertido, seu produto final parece mais uma remasterização do que um remake e pode ter perdido a oportunidade de renovar a franquia para as próximas gerações.
8

Ótimo

Aparentemente fragmentado, geralmente atarefado mas certamente engajado, este profissional do ramo bancário da seus pulos duplos no mundo dos games por ser fascinado pela forma como esta "arte" influencia os indivíduos.