CBLOL Split 1: Caminho para a final – O último confronto

Artigos Esports

Afinal, a final! Depois de esmiuçarmos o que aconteceu com os times durante todo o CBLOL 2015, está na hora dos finalistas Keyd Stars e INTZ ganharem seu tão merecido destaque. Mas o que falar deles, senão elogios? Foram duas campanhas absolutamente equivalentes e incríveis, ambos com cinco vitórias. As únicas partidas em que saíram derrotados foram nas duas vezes em que se encontraram – na md3 (melhor de três) e na partida de desempate para definir o primeiro lugar – e contra o time da paiN Gaming (outro dos favoritos) , que terminou na terceira colocação.

KEYD STARS

Keyd StarsO começo de campeonato para a Keyd foi de provação. Com dois empates e apenas uma vitória em seus primeiros jogos, a equipe demonstrava que ainda precisava melhorar um pouco a comunicação e a sinergia com as recentes contratações, os coreanos DayDream e Emperor. No entanto, esses problemas foram resolvidos rapidamente – vale lembrar que os empates foram contra as equipes que terminaram no topo – e logo a estrela do time começou a brilhar.

O aparecimentos dos jogadores da Coréia do Sul, que vieram para suprir as saídas de brTT (de volta à paiN) e Revolta (substituído primeiro por Rafes, que não agradou) não só contribuiu pelos ótimos atletas que são como também para dar uma nova força à Keyd Stars, que agora apresenta-se muito mais agressiva e com um início de jogo bastante forte. Os ganks (quando um jogador sofre uma emboscada feita por um ou mais adversários, geralmente envolvendo o jungler) de DayDream e os abates de Emperor, como o incrível triple kill solo contra a CNB (veja abaixo), caíram como uma luva em um time que já possuía nomes consagrados, como Mylon, Takeshi e Loop.

[youtube=”https://www.youtube.com/watch?v=gMhbXRteDmU”]

Destaque: DayDream

O coreano é, certamente, o pulmão da Keyd. Seu estilo bem ofensivo e suas constantes movimentações pelo mapa foram responsáveis por diversos abates da equipe e muita visão do mapa adversário. Embora tenha feito boas partidas com outros campeões, seu domínio com a Rek’sai é fantástico. O problema é (com o perdão do trocadilho) quando falta ar na equipe. Se alguém torna-se foco e acaba dominado pelo inimigo, o chamado efeito snowball acaba por vencer, e não há muito que o atleta possa fazer.

Kang "DayDream" Kyung-min

A agressividade de DayDream reflete-se em números

INTZ

INTZA INTZ tem uma única grande vantagem, em comparação a seus oponentes: é verdadeiramente um grupo. A sinergia que existe entre Yang, Revolta, Tockers, Jockster e micaO é definitivamente invejável e difícil de comparar e até mesmo de entender. A equipe manteve-se no topo da tabela em todas as rodadas, perdendo apenas dois jogos em todo o torneio. Mesmo quando tudo dá errado, como foi o caso da primeira partida da semifinal contra a paiN, o time consegue superar os problemas e vencer de forma incrível. Sua derrota para a Keyd também foi explosiva: um game de 68 minutos perdido por detalhes.

[youtube=”https://www.youtube.com/watch?v=EosM6HUyUTc”]

Destaque: Revolta

Depois de um 2014 ruim, em que foi altamente criticado, este ano é a redenção de Revolta. Com treino e dedicação, as críticas viraram elogios e agora o atleta é considerado por muitos como o melhor jogador deste CBLOL. O jungler fez partidas fantásticas nesta primeira etapa, com direito a roubos de Dragão e Barão, zombarias que teve que aguentar por muito tempo. Sua vibração a cada jogo é desconcertante e, se DayDream é o pulmão da Keyd, Revolta é o coração da INTZ.

Gabriel "Revolta" Henud

Revolta, para muitos, é o melhor jogador do CBLOL

ROTA A ROTA

Mylon x Yang (Top)

Enquanto o Mylon é um nome já firmado no cenário competitivo de League of Legends, Yang é uma excelente novidade. A experiência do primeiro pode contribuir bastante nesta partida, mas suas partidas contra a INTZ se mostraram bem difíceis para o jogador. Nos três confrontos entre eles, Yang levou vantagem em farming e abates.

DayDream x Revolta (Jungle)

Com certeza, o confronto que deve decidir o campeonato. É possível que o campeão Lee Sin, com quem Revolta é simplesmente um monstro, deve ser bloqueado, seja banido ou escolhido pelo DayDream. No entanto, isso pode se mostrar uma vantagem para a INTZ, pois o coreano não pegaria sua Rek’sai e Revolta já mostrou o que pode fazer de Jarvan.

Takeshi x Tockers (Mid)

Uma rota extremamente equilibrada, que deverá ter frequentes aparições dos junglers para ganks. Não há vantagens para nenhum dos adversários, embora o Tockers já tenha mostrado boas partidas com Zed e Ahri.

Emperor x micaO (Ad Carry)

Aqui, a disputa pende para a Keyd. Emperor é um exímio atirador e ele foi espetacular na única vitória do seu time em cima da INTZ, com números de cair o queixo: 14 eliminações, 10 assistência e 621 minions mortos. Todavia, o micaO é um bom carregador e pode ajudar bastante em split pushes (quando um jogador fica separado do time para empurrar outra rota).

Loop x Jockster (Support)

Outra vantagem para a Keyd, embora esta seja muito mais apertada. Na verdade, a única diferença entre os dois atletas é a quantidade de experiência do Loop, até por ter jogado um bom tempo como ad carry no competitivo. É bem provável que apareça uma Janna e um Thresh na posição, não importa o lado, pois ambos jogam muito bem com esses campeões.

QUEM GANHA?

Não aposto de forma alguma meu dinheiro! Mas e você? Quem acha que vai ganhar esta etapa? Deixe aí nos comentários a sua opinião e até a final 😉

Um simples desenvolvedor com textura realista que quer desligar a PhysX e sonha a 120 frames por segundo. Pena que a memória é baixa.