INTZ vence a primeira etapa do brasileiro de League of Legends

Esports Notícias

A INTZ venceu ontem o primeiro split do Campeonato Brasileiro de League of Legends, o CBLoL. Assim como em 2015, a disputa foi contra a Keyd Stars, com um sonoro 3 a 0 na melhor de cinco.

INTZ campeã

Só os mais otimistas esperavam tal resultado. A Keyd surpreendeu nessa temporada por não trazer grandes estrelas e apostar em nomes pouco unânimes no cenário brasileiro. Mesmo assim, fez uma campanha segura e chegou a derrotar a Kabum! nas semifinais de maneira avassaladora. Um maior equilíbrio na disputa final era esperado; só faltaram avisar o rival.

O time liderado por Revolta fez suas melhores partidas no torneio justamente nessa finalíssima. Sem dúvidas, mereceram chegar lá, até mesmo por tirar a desvantagem de -4 pontos, adquiridos como punição por falta de reservas inscritos suficientes, e chegaram até a segunda colocação da fase de grupos sem perder nenhuma série. Em vários desses jogos, porém, alguns erros eram nítidos, o que não aconteceu contra o oponente deste sábado.

Foram três vitórias limpas e estratégicas desde o primeiro draft. No jogo 1, coube ao jogador Felipe “Yang” Zhao a primeira surpresa: trazer um Ekko na rota do topo. Yang – que não vinha tão bem no campeonato – quebrou a dinâmica do top laner rival e, com o apoio do caçador Gabriel “Revolta” Henud, mostrou-se bem seguro nas lutas, tornando-se o destaque.

Takeshi picks e bans
image-19080

Takeshi tentou, mas amargou mais um vice

Após causar tanto terror, Ekko acabou banido na segunda partida, mas as surpresas continuavam no topo. Enquanto Revolta garantia novamente seus Kindred, Yang ficou com Gragas, campeão característico da selva. Os ultimates do Revolta para ajudar o time, as habilidades de controle de grupo do Gragas e o suporte Jockster em dia com os pilares do Trundle, a INTZ conseguia boas vantagens nas lutas em time, até o capitão da Keyd Murilo “Takeshi” Alves aparecer no mid game, com cinco abates em três minutos. Isso, no entanto, não foi o suficiente: a INTZ começou a focar no capitão, pressionou e destruiu novamente o Nexus inimigo.

No game final, a Keyd Stars parecia abatida, então Takeshi chamou a responsabilidade pra si e pegou Zed. Com Ekko e agora também os Kindred banidos, a INTZ foi para uma composição com os atiradores Graves, Corki e Sivir (selva, meio e ad carry, respectivamente) e dois feitiços Exaustão, para impedir a força do Zed.

Jogadores INTZ

Jogadores da INTZ comemoram mais uma vitória

A Keyd começou bem o jogo. Controlava dragões e derrubava torres, mas as team fights eram desfavoráveis. Turtle parecia nervoso com sua Sejuani e errava constantemente seu ultimate nas lutas iniciais, e tornava a vida dos atiradores rivais mais fácil, especialmente a do Micael “micaO” Rodrigues. A cada batalha, ele saía com mais eliminações e crescia consideravelmente, até o ponto onde estava imparável. Com 11 kills, 4 assistência e nenhuma morte, o jogador foi decisivo na luta final com um Quadra Kill e levou sua equipe para o GG.

Com o resultado, a INTZ recebe, além do troféu e a premiação de 15 mil reais, o direito de representar o Brasil no torneio International Wildcard, disputado entre os dias 16 e 23 de abril pelas regiões emergentes (Brasil, América Latina (Norte e Sul), Japão, Turquia, Oceania, Sudeste Asiático e CEI) e que leva seu vencedor para o Mid-Season Invitational 2016, torneio que ocorrerá nos dias 4 a 8 de maio em Xangai, na China, e agrega todos os grandes vencedores de cada região do cenário competitivo de League of Legends – América do Norte, Europa, China, Coreia do Sul, Taiwan e do Wildcard.

[youtube=”https://www.youtube.com/watch?v=agmDLVJL6n8″]

Parabéns, Yang, Revolta, Tockers, micaO, Jockster e INTZ. Que seu caminho de sucesso continue no MSI (porque sabemos que vocês tiram o Wildcard de letra) e surpreendam muita gente por lá!

Um simples desenvolvedor com textura realista que quer desligar a PhysX e sonha a 120 frames por segundo. Pena que a memória é baixa.