6 coisas que queremos em Assassin’s Creed Valhalla

Algumas coisas que gostaríamos de ver e ver de volta.

Artigos PC Playstation 4 PlayStation 5 Xbox One Xbox Series X

Assassin’s Creed Valhalla foi anunciado pela Ubisoft com lançamento no fim desse ano. Fiquei surpresa e feliz com a notícia, pois não esperava um lançamento da franquia esse ano (achava que seria um ano de Watch Dogs, mas deu ruim).

Como grandes fãs da franquia, separamos algumas coisinhas que gostaríamos de ver em Assassin’s Creed Valhalla. Pode ser que nunca aconteçam, mas o importante é manter a esperança:

1 – Volta das lâminas duplas

Que a lâmina escondida vai voltar já sabemos. No primeiro trailer divulgado, Eivor assassina seu inimigo usando a lâmina icônica. Mas algo que eu senti falta em Assassin’s Creed desde sua reformulação, foi a possibilidade de matar dois inimigos de uma única vez silenciosamente.

As lâminas duplas são elementos que gostaríamos de volta em Assassin's Creed Valhalla
Voltem, lâminas duplas

Quando via dois inimigos de costas um do lado do outro em Assassin’s Creed Odyssey, já batia aquela tristeza.

2 – Deuses e criaturas nórdicas

No trailer que já citei acima, também vemos um vislumbre de Odin e espero que os deuses nórdicos tenham presença em Assassin’s Creed Valhalla. Odyssey já mostrou que ir a fundo em uma mitologia dá certo e é muito interessante, espero o mesmo, ou até mais no Valhalla.

Odin estava presente no trailer de Assassin's Creed Valhalla. Será que teremos mais deuses nórdicos?
Odin marcou presença no trailer de Assassin’s Creed Valhalla

3 – Sistema de escolhas maior e mais complexo em Assassin’s Creed Valhalla

Ao que deu a entender, Eivor será uma única pessoa, seja no masculino ou feminino. E isso me lembrou Mass Effect, que é um jogo que me marcou pelo sistema de escolhas. No RPG de ação da Bioware, as escolhas possuem um peso e consequências.

O sistema de escolhas já estava presente em Assassin's Creed Odyssey. Queremos ele de volta e melhor no Assassin's Creed Valhalla.
Assassin’s Creed Odyssey já traz um sistema de escolhas

Claro que já vimos um pouco disso no Odyssey, mas eu gostaria de mais. Mais possibilidade de escolhas e suas consequências.

4 – Uma maior interação com o tempo presente da franquia em Assassin’s Creed Valhalla

Desde o fim de Assassin’s Creed III, tivemos poucas interações com o tempo presente da franquia nos videogames. Um fator que era fundamental para a narrativa dos primeiros jogos parece ter morrido junto com Desmond. Aos fãs do tempo presente restaram apenas os livros e alguns easter eggs espalhados entre outros títulos da Ubisoft.

As interações com o tempo presente podem voltar com tudo em Assassin's Creed Valhalla.
Apelo dos fãs pela volta do tempo presente

Felizmente, parece que a equipe de desenvolvimento da Ubisoft parece ter ouvido seus fãs e decidiu reestruturar o tempo presente desde Assassin’s Creed Origins, com a inserção de Layla como a nova protagonista.

Mesmo que sua presença nos outros jogos não tenha sido tão bem explorada ainda, tudo indica que Assasssin’s Creed Valhalla buscará uma revitalização desse poderoso vínculo com o universo da franquia. Essa esperança foi reforçada graças as informações fornecidas pelo diretor criativo, Darby McDevitt, ao GameSpot.

Temos muitas novidades interessantes para a história atual e estamos empolgados para mostrar isso às pessoas. É algo que eu queríamos ver há muitos anos e finalmente tivemos a ideia de como poderíamos implementá-la, mas não vou entrar em detalhes agora.

Um dos livros mais recentes de Assassin’s Creed a ser traduzido e lançado no Brasil foi o último da série Last Descendants, O Destino dos Deuses, que tem relação com Vikings e um poderoso artefato do Éden. Seria muito interessante se houvesse um vínculo com personagens dessa série ou até mesmo a participação de alguns deles na história.

5 – O que aconteceu com o último portador do Bastão de Hermes?

Os jogadores que tiveram a oportunidade de concluir Assassin’s Creed Odyssey sabem que o antecessor de Layla pode ter influenciado muitos dos acontecimentos entre vários jogos da franquia. Mesmo que essa seja uma possibilidade remota, podemos perceber uma ótima oportunidade de trazer uma narrativa mais intrigante tanto no tempo presente quanto em outras eras já abordadas anteriormente.

O que aconteceu com a portadora do Bastão de Hermes? Saberemos em Assassin's Creed Valhalla?
Um artefato do Éden que criou oportunidades de narrativa

6 – Início da monarquia da Noruega

De acordo com as informações fornecidas sobre a época abordada por Valhalla, teremos uma história situada no ano de 873 D.C. (séc. IX), durante a expansão Viking.

Como estamos falando de uma das franquias de jogos mais dedicadas a fusão de sua ficção com acontecimentos históricos reais, podemos esperar que teremos muitas referencias a pessoas de grande relevância para a época.

Como será tratada a história de Alfredo, o Grande em Assassin's Creed Valhalla? E será que teremos Haroldo I?
Alfredo, O Grande: morreu em 26 de outubro de 899. A causa é desconhecida.

Como pudemos ver logo no primeiro trailer divulgado, Alfredo, O Grande, já está confirmado na lista de abates de monarcas incluídos no jogo. Outro personagem que gostaria de ver retratado em Valhalla seria Haroldo I da Noruega, também conhecido como Haroldo Cabelo Belo, o primeiro primeiro rei da Noruega. Referências a lendas ligadas ao monarca também seriam bem vindas.

E você, o que gostaria de ver em Assassin’s Creed Valhalla? Algo novo, ou talvez alguns elementos de volta?

Amante de livros, séries, mangás e claro, amante de jogos, principalmente aqueles com uma ótima e profunda história. Estuda pedagogia porque precisa trabalhar para comprar os games no lançamento.