Confira 7 jogos com histórias ambientadas em 2021

Tem pandemia, ameaça de apocalipse zumbi e monstros assassinos. Trazemos até você uma lista de sete jogos com histórias ambientadas em 2021.

Artigos Vintage

Finalmente, chegamos à 2021 . Apesar do conturbado ano de 2020 com pandemia, ameaças de guerras e outras catástrofes, a humanidade continua seguindo seu rumo. Mesmo não tendo nada emocionante como ameaças de apocalipse zumbi ou invasão alienígena, o ano passado foi complicado.

Dead Rising - jogos com histórias ambientadas em 2021
image-272578
Espero que a ameaça zumbi fique longe de 2021.

Mas o mundo do jogos é uma tela em branco para experimentações fantasiosas. Algumas mentes criativas imaginaram histórias em 2021 com zumbis, milagres da medicina e ameaças de guerras mundiais.

Nossa equipe listou 7 games com enredos e cenários imaginados para este ano. Sinta-se a vontade para comentar e sugerir algum título que tenhamos esquecido nos comentários e nas nossas redes sociais.

Vamos a lista de games com histórias ambientadas em 2021:

Dead Rising 3 (Xbox One e PC)

Dead Rising 3 acontece no ano de 2021, 15 anos após o surto zumbi enfrentado por Frank West no primeiro jogo da série. Seguimos a vida do mecânico Nick Ramos, um jovem com problemas familiares e conjugais que precisa sobreviver a ameaça de zumbis que chegou a fictícia cidade de Los Perdidos, Califórnia.

Dead Rising - jogos com histórias ambientadas em 2021
image-272579
Apesar do tema sério, 2021 pode ser um playground em meio a pandemia zumbi.

Após ser mordido por um zumbi, Nick parte em busca do remédio Zombrex, a única cura conhecida e extremamente rara. Porém, o jovem descobrirá que a ameaça não está nos mortos-vivos, mas sim em forças misteriosas que buscam a dominação dos Estados Unidos e do mundo.

Apesar da descrição séria, o jogo segue com elementos de comédia típicos da franquia, como armas mirabolantes e vestimentas, digamos, de caráter duvidoso. Porém, a Capcom não se limitou a explorar o apocalipse zumbi de 2021 apenas com Nick.

Dead Rising 4 (Xbox One, PC)

Temos aqui o retorno de Frank West, o aloprado jornalista que é o “mascote” da série. Após abandonar a emocionante vida de caça à notícias para dar aulas na universidade, o protagonista acaba minimizado e ridicularizado como um profissional da comunicação.

Tanto o terceiro quanto o quarto título da série possuem histórias ambientadas em 2021.

Ao lado de Vick, um de seus alunos, Frank decide retornar a primeira cidade infectada por zumbis, Willamate, para investigar e produzir uma matéria. Porém, a viagem acaba não dando muito certo e a dupla é acusada de terrorismo biológico pelo governo.

O game acontece em setembro de 2021, poucos meses após os acontecimentos do Dead Rising 3. Após criticas dos fãs em relação ao protagonista Nick, a Capcom decidiu trazer o carismático West de volta aos holofotes.

Ainda bem que os roteirista de Dead Rising não são adivinhos do futuro como aqueles que escrevem os episódios dos Simpsons.

NanoBreaker (PlayStation 2)

Em 2001, o governo dos Estados Unidos estabeleceu uma instalação de pesquisa de armas baseadas em nanotecnologia em uma remota ilha do Pacífico. Com grandes avanços científicos, uma comunidade formada por cientistas, empresários, analistas e moradores locais.

NanoBreaker traz uma das mais sangrentas histórias ambientadas em 2021.

Após 20 anos, as máquinas se revoltam e começam a exterminar toda vida da região. Cabe ao soldado Jake e a cientista Michele a missão de destruir o computador central que gerencia as atividades das nano máquinas e acabar com a ameaça de extinção da humanidade.

O game foi lançado em 2005 pela Konami sob a supervisão de Koji Igarashi, responsável por diversos títulos da série Castlevania. Com mecânicas baseadas em Castlevania: Lament of Innocence, o jogo recebeu um certo destaque na época, mas acabou esquecido pela mídia e jogadores.

A nanotecnologia é uma realidade nos dias de hoje, mas nada tão avançado ao ponto da criação de máquinas assassinas. Pelo menos, até onde temos conhecimento…

The Drowning (iOS e Android)

The Drowning é um game FPS desenvolvido pelo estúdio sueco Scattered Entertainment e publicado pela DeNA para iOS em 2013, com uma versão para Android lançada um ano depois.

Apesar de criticado pela mídia especializada, The Drowning traz um enredo que critica a exploração dos recursos naturais do planeta.

No ano de 2021, uma gosma preta vinda do mar acaba chegando a várias praias do mundo, transformando aqueles que a tocam em zumbis e criaturas bizarras. No comando de um protagonista sem nome, o jogador deve sobreviver e sair em busca de uma forma de destruir a gosma negra batizada de “Black”.

O game traz uma visão fantasiosa de um futuro não tão distante onde a guerra por recursos faz as grandes companhias desenvolverem algo mais lucrativo que o petróleo: o composto “Black”. Porém, o preço para sua criação é a ameaça a toda vida existente.

Algo bastante familiar aos dias de hoje…

Hitman 2 (Xbox One, PlayStation, PC e Stadia)

Lançado em 2018, Hitman 2 segue a história do Agente 47, protagonista da série. O assassino aceita uma missão para caçar o “Shadow Client“, um misterioso terrorista que está causando um pânico mundial. Em viagem por várias partes do globo, cabe ao jogador explorar todas as habilidades assassinas de 47 e ajuda-lo à descobrir as verdades do seu passado.

Viaje pelo mundo em busca do Shadow Client na pele do Agente 47.

O game não deixa tão claro o ano dos acontecimentos da trama. Mas de acordo com as revelações do passado de 47 e a aliança entre as organizações ICA e Providence, o jogo pode ser situado no ano de 2021. Uma sugestiva época para teorias da conspiração!

Tomara que não surja um Shadow Client para atormentar o mundo em 2021. Já basta o coronga.

Tom Clancy’s H.A.W.X (PC, PlayStation 3, Xbox 360, iOS e Android)

O velho Tom Clancy é sinônimo de histórias de espionagem e tramas governamentais. Em H.A.W.X, empresas privadas regem a segurança de diversas nações por todo mundo.

image-272580
Os caças de H.A.W.X já são uma realidade.

Em 2021, um grupo terrorista tomou posse do poderio militar de uma grande corporação privada de defesa e ameaça os Estados Unidos com um ataque em massa.

Cabe ao jogador, um piloto da Força Aérea dos Estados Unidos da América, combater os terroristas com o que existe de melhor em tecnologias de caças de combate.

O game fez um relativo sucesso, ganhando uma continuação.

Lançado em 2009 pela Ubisoft, o simulador de caça fez um relativo sucesso na época e recebeu críticas mistas por parte do público e da mídia especializada. Anos depois, ganhou uma continuação que acontecia logo após os eventos do primeiro game.

Quem sabe ele não apareça no Pulo Duplo na matéria sobre jogos com histórias em 2022?

Trauma Center: Under the Knife 2 (Nintendo DS)

Em 2021 (três anos após o primeiro game), a misteriosa doença GUILTY traz de volta a ameaça de uma pandemia mundial. O Dr. Derek Stiles é um médico com o misterioso toque da cura, que potencializa o processo de recuperação dos pacientes. Ao lado da enfermeira Angie Thompson, cabe ao médico erradicar a ameaça da doença, provocada por um vírus liberado por uma organização criminosa.

Bem que o mundo podia ter um Dr. Derek Stiles para ajudar com a COVID-19.

Após o sucesso do primeiro Trauma Center no Wii, a sequência foi lançada pela Atlus para o portátil Nintendo DS em 2008. Com o uso da tela touch e da caneta stylus, o game simula procedimentos comuns como cortes cirúrgicos, suturas, dreno e outros tantos procedimentos médicos.

Um vírus que provoca uma doença misteriosa com ameaça de pandemia… Familiar, não? Apesar de não termos um Dr. Stiles, pelo menos as vacinas estão chegando para ajudar a controlar a pandemia.

Gostou da lista de jogos com histórias ambientadas em 2021? Não deixe de curtir outras matérias do Pulo Duplo relacionadas ao ano de 2021, como os 20 indies mais aguardados e lançamentos de janeiro.

Jornalista, analista de mídias e sergipano com orgulho. Apaixonado por "quase" tudo que vem do Japão, em especial animes e jogos. Um eterno sonhador que sempre busca novos desafios!