25 anos de Pokémon: relembrando Red, Green e Blue

Com a chegada dos 25 anos de Pokémon, decidimos homenagear a série relembrando várias curiosidades dos jogos e produtos derivados.

Artigos Instagram

Finalmente, chegamos aos 25 anos de Pokémon! No dia 27 de fevereiro de 1996 chegava ao Game Boy da Nintendo os games Pokémon Red e Green (Pocket Monsters no original em japonês). O game foi anunciado primeiramente em 1995 nas revistas especializadas do Japão. O desenvolvimento do game ficou a parte do estúdio Game Freak e a publicação foi exclusiva da Nintendo.

image-273752
Marca oficial dos 25 anos de Pokémon

A versão ocidental do jogo chegou apenas em 1998, com os nomes de Pokémon Red e Blue. O motivo do atraso de quase dois anos no lançamento, segundo os desenvolvedores, foi a necessidade de adaptação dos monstrinhos de bolso ao cenário internacional. Porém, muitos acreditam que o real motivo foi o lançamento oficial do anime em sua versão localizada nos Estados Unidos pela empresa 4Kids.

Pokémon trazia a história de um garoto de 10 anos em um mundo repleto de criaturas especiais chamadas Pokémon. Na região de Kanto, o professor Oak seleciona jovens para seguirem em uma jornada pelo continente e se tornarem treinadores pokémon. Para isso, o professor presenteava os garotos com um pokémon inicial e algumas pokébolas para capturar novas criaturas. Depois batalhavam com outros treinadores, líderes de ginásio e a elite dos quatros. Enfim, o resto que praticamente todo mundo já sabe.

25 anos de Pokémon
image-273753
É hora de celebrar os 25 anos de Pokémon.

Hoje, a franquia é uma das mais rentáveis da história dos games e já gerou inúmeros jogos e produtos derivados ao longo dos seus 25 anos. Para comemorar uma data tão especial, trazemos até você dez curiosidades sobre a primeira geração dos monstros de bolso e a franquia no geral.

1 – Por que o Green não foi lançado no Ocidente?

image-273754
Capa original do Pocket Monsters Green

Os primeiros jogos da série lançados foram os japoneses Pocket Monster Aka (Red) e Pocket Monster Midori (Green). Apesar do avassalador sucesso, os títulos não foram lançados no Ocidente. Por nossas terras, a versão lançada foi Pokémon Red e Blue, que são baseadas na versão japonesa Pocket Monsters Ao (Blue) lançada em 1998. Essa edição possui pequenas melhorias gráficas, mais opções de locais para capturar monstros e um tempo de “loading” menor antes do início das batalha.

Nas comemorações dos 25 anos de Pokémon, muitos esperam que o Green clássico seja finalmente lançado no Ocidente por meio de uma coletânea ou versão remasterizada (nada de remake).

2 – Nada de Pikachu como protagonista

image-273755
O estranho protagonista do mangá Pocket Monsters

Por mais que Pikachu seja o mais popular pokémon da atualidade, principalmente por conta da animação, nem sempre foi assim. O idealizador do game, Satoshi Tajiri, sempre gostou do pokémon Clefairy e defendia que ele tivesse uma importância maior no jogo e na série. Porém, após conversas com a equipe de marketing da Nintendo, tanto Satoshi quanto os demais desenvolvedores perceberam que Pikachu tinha um apelo comercial maior.

Entretanto, Clefairy é o pokémon principal do protagonista Red na primeira série de mangá da franquia: Pokémon Pocket Monsters.

3 – De início, seriam 190 pokémon

25 anos de Pokémon
image-273756
Entrando na franquia nos jogos Gold e Silver, Lugia e Ho-Oh foram criados antes do lançamento de Red, Green e Blue.

Para quem achava que 151 pokémon era muito, quem imaginaria que os primeiros jogos teriam 190 criaturinhas. Pois bem, da seleção final, 39 deles foram excluídos e engavetados para projetos futuros.

Nomes como Scizor, Heracross, Hitmontop, Magby, Lugia e Ho-Oh foram projetados para a primeira geração.  Mas a equipe de desenvolvimento liderada por Satoshi e Miyamoto decidiram economizar espaço e focar no desenvolvimento dos outros 151 pokémon. 

4 – Alguns foram excluídos devido ao design “controverso”

25 anos de Pokémon
image-273757
Madame (evolução de Farfetch), Norowara e Wolfman são alguns dos modelos descartados.

Todo jogo passa por um processo de desenvolvimento, o que gera dezenas de ideias que acabam descartadas por vários motivos. O mesmo aconteceu com Pokémon. Muitos modelos de criaturas de bolso acabaram excluídos do projeto final por serem “assustadores” ou controversos demais.

Em 2019, o design descartados de vários pokémon foram apresentados ao mundo por meio de um vazamento. Alguns modelos bem controversos como Norowara, que possui como molde um boneco de maldições da mitologia japonesa, foram considerados “controversos”. O mesmo aconteceu com “Madame”, a evolução do pokémon Farfetch, que evoluia seu aipo para um objeto estranho e passava a utilizar uma máscara, digamos, sugestiva.

5 – O nome do jogo seria “Capumon”

25 anos de Pokémon
image-273758
Em seus esboços iniciais, o projeto era chamado de Capumon

No projeto inicial de Pokémon, o game era conhecido como Capsule Monsters. A ideia de monstros em cápsula partiu do amor de Satoshi por brinquedos em gashapons (aquelas bolinhas com brindes que saem de máquinas). Outra paixão do criador era colecionar insetos, os quais ele costumava guardar em caixas e dentro das cápsulas de gashapon.

Infelizmente, o nome foi alterado para Pocket Monsters devido ao registros das marcas “Capumon” e “Capsule Monsters” por uma empresa de brinquedos na China.

6- A família Ultra inspirou o criador

25 anos de Pokémon
image-273759
Ultraman Seven e Staryu

Quando criança, Satoshi Tajiri era um grande fã da franquia Ultraman. O desenvolvedor alega que outra grande inspiração para Pokémon partiu da série Ultraman Seven. Nela, o protagonista utilizava as monsters capsules, onde armazenava perigosas criaturas do espaço após derrotá-las. Foi a partir daí que Satoshi criou a ideia das pokébolas.

Outra referência a Ultraman é feita com os pokémon Staryu e Starmie. A joia no centro das estrelas do mar brilha da mesma forma que o herói japonês. Inclusive, o grito do Staryu é o mesmo dado pelo herói em sua batalhas.

7 – A mudança na anatomia do Pikachu

25 anos de Pokémon
image-273760
Nos 25 anos de Pokémon, qual o seu favorito?

Muitos (eu incluso) defendem com unhas e dentes a forma “gordinha” do Pikachu no começo do anime e nos primeiros jogos da série. Nos 25 de existência da franquia, o rato amarelo acabou em um design mais “enxuto”, o que desagradou a fanbase das antigas.

A forma mais magrinha do Pikachu surgiu como uma sugestão dos animadores do anime. Mais especificamente, da equipe do primeiro filme animado, conhecido no Ocidente como “Pokémon: O Filme”. Para os animadores, a nova forma do rato elétrico permitia uma maior movimentação e expressividade. 

8 – As inspirações para o nome

25 anos de Pokémon
image-273761
Satoshi Tajiri inspirou o nome do protagonista do anime

A primeira sugestão aos jogadores para um nome do protagonista no começo do game sempre segue o subtítulo do game. Red, Green e Blue são algumas opções. Os nomes também foram usados para nomear os personagens dos primeiros mangás da franquia.

Já nos animes, o protagonista Ash no Japão é chamado de Satoshi, uma clara homenagem ao idealizador do game. E seu rival Gary possui o nome de Shigeru, em homenagem ao produtor do game, Shigeru Miyamoto.

25 anos de Pokémon
image-273762
O rival, por sua vez, é uma homenagem ao gênio Shigeru Miyamoto.

Outra homenagem são os nomes de Jessie e James no Japão. A integrante da equipe Rocket é chamada de Musashi, enquanto seu parceiro recebe o nome de Kojiro. Os nomes são homenagens aos samurais Miyamoto Musashi e Sasaki Kojiro.

9 – A macabra história de Cubone

25 anos de Pokémon
image-273763
Antes macabra, a origem do osso da cabeça de Cubone foi “suavizada”

Quem jogou os jogos originais vai lembrar dessa. Existia a lenda de que o crânio do Cubone era de sua mãe morta por caçadores, onde o pobre filhote utilizava como acessório. Bem, essa informação estava presente nas primeiras versões japonesas do game. Com a chegada do anime e o lançamento mundial dos jogos, a descrição foi “suavizada” e a informação sobre o macabro acessório foi omitida.

Entretanto, a morte da mãe do Cubone foi reinterpretada e recontada no anime Pokémon Origins e nos jogos Pokémon Fire Red, Leaf Green, Go Pikachu e Go Eevee.

10 – Pokémon Red e Blue no Guiness Book

Em 2009, o Guiness Book reconheceu Pokemon Red / Green / Blue como o jogo de RPG mas vendido da história (naquela época), com suas 3.38 milhões de cópias. O segundo lugar no ranking de vendas fica com a continuação Gold / Silver, com 23,1 milhões de cópias.

25 anos de Pokémon
image-273764
Em 25 anos de Pokémon, os jogos originais são os mais vendidos da franquia.

Agora, o terceiro lugar é do novato Pókemon Sword / Shield, com o total de 18.22 milhões de cópias. Ele é o quinto jogo mais vendido do console híbrido Nintendo Switch.

A franquia dos monstros de bolso possui um legado surpreendente. Além do games da Nintendo, temos os jogos de cartas, animações e o sucesso avassalador do Pokémon Go. Vamos torcer para que a Big N e todos os envolvidos com a marca continuem trazendo muito mais alegrias nos próximos anos.

*Com informações dos sites Bulbapedia e Nintendo Fandom

Siga o Pulo Duplo nas Redes Sociais!

Jornalista, analista de mídias e sergipano com orgulho. Apaixonado por "quase" tudo que vem do Japão, em especial animes e jogos. Um eterno sonhador que sempre busca novos desafios!