The Last of Us: Remake está em desenvolvimento para o PS5, diz site

Sony teria foco somente em grandes sucessos exclusivos, deixando os menores estúdios de lado.

Instagram Notícias Playstation 4 PlayStation 5

Um relatório da Bloomberg pelo jornalista Jason Schreier pode ter revelado o desenvolvimento do remake de The Last of Us e algumas particularidades da forma com que a Sony lidera seus estúdios. O foco da dona do PlayStation seria somente em grandes sucessos exclusivos, não dando muita atenção aos pequenos estúdios dentro da organização.

Como exemplo disso, o artigo cita a batalha do Visual Arts Service, um grupo que frequentemente ajuda a finalizar jogos projetados em outros estúdios de propriedade da Sony com animação, arte ou outro conteúdo de desenvolvimento. Porém, Michael Mumbauer, fundador do Visual Arts Service, decidiu que queria ter mais controle criativo e reuniu uma equipe de cerca de 30 desenvolvedores para formar uma nova unidade de desenvolvimento dentro da Sony.

A ideia seria trabalhar no remake do primeiro Uncharted, mas ao invés disso eles começaram a trabalhar no possível remake de The Last of Us, sucesso de 2013, com o codinome T1X. O projeto foi aprovado em caráter experimental, mas a Sony manteve a existência da equipe em segredo e se recusou a dar-lhes um orçamento para contratar mais pessoas. Ainda assim, a pequena equipe continuou trabalhando e em 2019 eles concluíram uma seção do jogo projetada para mostrar como o resto seria. O chefe do PlayStation’s Worldwide Studios, Hermen Hulst, porém, não gostou do resultado, afirmando que o projeto era muito caro. A equipe de Mumbauer foi chamada para auxiliar a Naughty Dog com The Last of Us Part II e a Sony avisou que após a conclusão da sequência, algumas pessoas da Naughty ajudariam com o T1X.

Remake de The Last of Us estaria em desenvolvimento
image-274612
Remake do grande sucesso de 2013 estaria em desenvolvimento

Logo ficou claro que a Naughty Dog estava no comando, e a dinâmica voltou ao que tinha sido na última década e meia: o Visual Arts Support ajudando outra equipe de desenvolvedores em vez de liderar. O pequeno grupo de desenvolvedores não gostou de ter sua autonomia retirada. No final de 2020, a maioria dos principais funcionários da equipe tinha saído do projeto T1X, incluindo Mumbauer e o diretor do jogo, David Hall.

Esse é apenas um dos casos que pode apontar para uma fixação da Sony em algumas equipes. A prioridade de orçamento vai para estúdios como a Naughty Dog e Guerrilla Games, que costumam entregar grandes sucessos. Na semana passada, a Sony reorganizou um escritório de desenvolvimento no Japão, resultando na saída em massa de pessoas que trabalharam em jogos menos conhecidos, mas aclamados, como Gravity Rush e Everybody’s Golf. A empresa informou aos desenvolvedores que não deseja mais produzir jogos menores que só tenham sucesso no Japão, de acordo com a Bloomberg.

A sequência da história de Deacon St. John pode ter sido cancelada
image-274613
A sequência da história de Deacon St. John pode ter sido cancelada

Esse “favoritismo” parece estar causando uma inquietação nos estúdios menores da Sony. Outro exemplo é a Sony Bend, desenvolvedora de Days Gone, que tentou trabalhar em uma sequência do game, mas foi barrada. Embora o jogo tenha sido lucrativo, seu desenvolvimento foi longo e a recepção da crítica foi mista. A equipe da Bend foi designada então para auxiliar em um jogo multiplayer da Naughty Dog, o que não agradou funcionários e líderes da Sony Bend, que temiam que pudessem ser absorvidos pelo grande estúdio responsável por franquias como Uncharted. Eles solicitaram serem retirados do projeto e agora trabalham em um novo jogo, mas não ficou claro se seria uma nova IP ou o Days Gone 2.

O remake de The Last of Us aparentemente continua em desenvolvimento na Naughty Dog, mas o futuro da equipe de Mumbauer, que passou a ser chamada de Naughty Dog South, permanece incerto.

Siga o Pulo Duplo nas Redes Sociais!

Amante de livros, séries, mangás e claro, amante de jogos, principalmente aqueles com uma ótima e profunda história. Estuda pedagogia porque precisa trabalhar para comprar os games no lançamento.