20 anos de Final Fantasy X | 10 curiosidades sobre o game

Para celebras os 20 anos de Final Fantasy X , fizemos uma lista com dez (como deve ser) curiosidades sobre o RPG da antiga Squaresoft.

Artigos Nova Geração PC Playstation 3 Playstation 4 PlayStation 5 PS Vita Switch Vintage Xbox One Xbox Series S Xbox Series X

No dia 19 de julho, os fãs comemoram os 20 anos de Final Fantasy X. O game foi publicado e desenvolvido pela Squaresoft com exclusividade para PlayStation 2.  Dirigido por Yoshinori Kitase, com designer de personagens desenvolvidos por Tetsuya Nomura (Kingdom Hearts) e músicas de Nobuo Uematsu (que atuou em praticamente todos os FFs) e Masahi Hamauzu (Chocobo Mystery Dungeon).

O título está disponível para várias plataformas na edição HD Remaster.

Como o primeiro título da franquia para a sexta geração de consoles, os desenvolvedores utilizaram o potencial tecnológico do PS2 e a capacidade de armazenamento da nova mídia, o DVD.  Graças a isso, o jogo foi o primeiro totalmente 3D, incluindo cenários (que antes eram pré-renderizados e fixos) e o primeiro a incluir uma longa linha de diálogos falados.

A história acontece no mundo de Spira. O jovem Tidus sonha em levar seu time de blitzball para a final do mundial, mas seus planos são frustrados após a entidade Sin destruir sua cidade natal, Zanarkand. Guiado pelo samurai Auron, o herói junta-se a Yuna em sua peregrinação para despertar o poder de Summoner e derrotar de vez Sin.

Para relembrar e comemorar os 20 anos da série, trazemos algumas curiosidades e informações sobre o décimo jogo da “Fantasia Final”.

1 – Um novo e esforçado compositor

Antes, Nobuo Uematsu conduziu quase que exclusivamente toda a produção musical dos jogos anteriores da série. Com algumas desavenças que no fim resultaram no afastamento de nomes como Hironobu Sakaguchi, Uematsu quase saiu da Squaresoft. Entretanto, o compositor confiou o coprodução musical ao seu pupilo Masahi Hamauzu, que antes trabalhará em jogos menores da empresa.

http://www.wayorecords.net/wp-content/uploads/2017/08/hamauzumasashi-1024x682.jpg
Masahi Hamauzu (Foto: Wayô Records)

Segundo Masahi, ele viu uma oportunidade única de crescer profissionalmente. Passou noites em claro e afirma que, em menos de um mês, produziu mais da metade de todas as músicas do game. Hoje, o profissional trabalha em praticamente todos os títulos da série, sendo compositor chefe de vez em Final Fantasy XIII.

Em 2011, Masahi criou a banda IMERUAT ao lado da vocalista Mina Sakai, a cantora de várias músicas de Final Fantasy XIII.

2 – A volta aos elementos clássicos em batalhas

Originalmente, o projeto de Final Fantasy X trazia batalhas com o tradicional modelo Active Time Battle, presente em todas as edições do jogo no primeiro PlayStation. Empenhados em trazer uma nova experiência, mas sem perder sua identidade, a equipe de desenvolvimento optou pelo Conditional Turn-Based Battle (CTB).

image-276643
O CTB tornou-se bastante popular após FF X.

Nele, a ordem dos turnos é baseada em fatores diversos como o atributo “agilidade” e habilidades gerais como Haste. A depender das ações do jogador, a ordem das ações dos jogadores e inimigos muda drasticamente, oferecendo diferentes estratégias e desafios aos combates.

3 – O inovador, e criticado, Sphere Grid

Em FF X, a evolução dos personagens fugiu ao tradicional por meio do sistema Sphere Grid. Nele, os jogadores utilizam os chamados pontos AP, adquiridos durante batalhas para comprar esferas em um mapa de evolução dos personagens. Assim, aumento de status, habilidades e poderes eram adquiridos ao comprar estas esferas, eliminando o  sistema de níveis de personagem.

image-276644
Após 20 anos de Final Fantasy X, o sistema Sphere Grid inspira vários RPGs.

Inovador em sua essência, o sistema foi bastante criticado por jogadores mais tradicionais. Em entrevistas, o diretor Yoshinori Kitase alega que algumas mensagens de fãs revoltados foram enviadas para a Squaresoft após o lançamento. Algumas delas com ameaças de morte.

4 – Não deu para colocar tudo na primeira versão

Segundo os desenvolvedores, FF X seguiu com seu cronograma de lançamento. Durante o desenvolvimento, a equipe precisou “podar” algumas ideias. Por conta disso, a equipe optou em guardá-las para a futura edição International.

https://s.pacn.ws///640/PA.04410.002.jpg?qmmurf
FF X International foi a única edição lançada na Europa, China e Coreia do Sul.

Final Fantasy X International trouxe novas Sphere Grids, novos chefes, sidequests e um disco extra com vários adicionais. Todo o conteúdo da versão International está presente no relançamento Final Fantasy X|X-2 HD Remaster.

5 – O que não deu no FFX International foi para FF X-2

O projeto para a sequência do Final Fantasy X surgiu ainda na concepção inicial do projeto. A aventura de Yuna, Paine e Rikku trouxe elementos inéditos como as mudanças de Jobs que foram pensadas para o projeto inicial do FF X, mas descartadas.

https://cdn.akamai.steamstatic.com/steam/apps/359870/ss_6f022eb81a5591171831e8245980dda1a0e7ecf3.1920x1080.jpg?t=1567793822
O trio de X-2

A produção de FF X-2 começou após o lançamento de FF X. Já a escolha de Yuna como protagonista e o desenvolvimento do roteiro final aconteceu após a grande aceitação do público com o casal “Yuna e Tidus”.

6 – Tidus seria um herói mudo e sem nome

No projeto original, o protagonista Tidus não teria um nome ou falas dubladas. Seria o chamado “protagonista mudo”, onde os jogadores escolhem seu nome e falas durante o jogo. O recurso é utilizado em Dragon Quest, que na época era o grande rival da franquia Final Fantasy.

Tidus Laugh GIF - Tidus Laugh TidusLaugh GIFs
Se Tidus fosse mudo, não teríamos a inesquecível risada.

A ideia foi descartada, mas o nome de Tidus em FF X não é falado pelos outros personagens. A opção de renomear o protagonista de acordo com a escolha do jogador está presente.

7 – Não teria encontros aleatórios

Final Fantasy X foi planejado para não ter encontros aleatórios, com um sistema onde os inimigos estariam no cenário e o combate seria iniciado ao esbarrar com eles. Mas devido a limitações tecnológicas e falta de tempo, a equipe decidiu manter o sistema de encontros.

https://i.ytimg.com/vi/J_Y_1suNlYc/maxresdefault.jpg
O sistema de batalha seria muito parecido com o encontrado em FF XI e FF XII

A ideia foi aproveitada nos títulos subsequentes FF XI e FF XII.

8 – Os personagens favoritos

Em uma enquete da revista japonesa Famitsu, Yuna, Tidus, Auron e Rikku foram escolhidos entre os 50 personagens favoritos da série Final Fantasy, consequentemente, os favoritos do décimo game.

Auron é um dos mais queridos em Final Fantasy X

Já no Ocidente, de acordo com votações em revistas e sites, a escolha dos favoritos muda um pouco. Entre os quatro mais, temos Tidus, Yuna, Auron e Lulu.

9 – Lulu estaria em FF VIII

Segundo o diretor Yoshinori Kitase, a black mage Lulu foi desenvolvida inicialmente como uma personagem do elenco de Final Fantasy VIII. Ela seria uma instrutora da academia onde Squall e seus companheiros eram alunos.

image-276645
Que tipo de professora seria Lulu em Final Fantasy X?

Lulu acabou indo para geladeira por alguns anos, retornando repaginada para FF X. Uma curiosidade é que o designer de personagens, Tetsuya Nomura, nega veemente este relato de Kitase, alegando que a personagem foi planejada para o FF X.

10 – Yuna, a enfermeira

No script original de FF X, Yuna seria a protagonista. Ao invés de uma Summoner, Yuna seria uma White Mage e seguiria pelo mundo propagando os ensinamentos da organização Yevon, além de curar as pessoas de uma praga misteriosa.

image-276646
A enfermeira Yuna e sua party nas artes iniciais de FF X. (Imagem: Final Fantasy Wiki)

O roteiro foi descartado logo no início do desenvolvimento. Segundo o diretor Kitase, o tema era relativamente “simples” e não renderia uma “história emocionante”. Curiosamente, a ideia foi aproveitada por Keisuke Miyauchi e Tomoya Asano no jogo Octopath Traveler, onde a personagem Ophilia, uma clériga que segue em peregrinação pelo mundo.

Curtiu nossa lista de curiosidades? Existe uma infinidade de informações sobre Final Fantasy X. Querido por muitos e odiado por outros, é inegável a contribuição do game para a perpetuação da “fantasia final” da Square Enix.

Atualmente, o game pode ser jogado em todas as atuais plataformas por meio da Final Fantasy X/X-2 HD Edition lançada para PlayStation 3, PSVita, Xbox One, PS4, Nintendo Switch e PC.

*Com informações da Final Fantasy Fandom.
** Com informações do livro Final Fantasy X Ultimania Omega.

Jornalista, analista de mídias e sergipano com orgulho. Apaixonado por "quase" tudo que vem do Japão, em especial animes e jogos. Um eterno sonhador que sempre busca novos desafios!