fbpx

Top 10 Tales of para jogar antes de Tales of Arise

Confira nosso Top 10 de jogos Tales of e conheça mais sobre a série antes do lançamento oficial de Tales of Arise em 10 de setembro.

3DS Android Artigos iOS Mobile Nova Geração PC Playstation 3 Playstation 4 PlayStation 5 PS Vita Vintage Xbox 360 Xbox One Xbox Series S Xbox Series X

No dia 10 de setembro, Tales of Arise será lançado. O novo título da tradicional série de JRPGs da Bandai Namco terá muitas novidades. Muitas delas graças aos avanços no desenvolvimento que a equipe da Bandai Namco (no começa apenas Namco) conquistou com os anos de experiência, a exemplo das melhorias gráficas e sistema de batalha refinado. Outras são bem sutis, como melhorias no desenvolvimento da trama e personagens.

Sabendo disso, o Pulo Duplo decidiu criar um pequeno “Top 10 Tales of” com os melhores jogos da série. É um pequeno preparatório antes da chegada de Tales of Arise, que promete ser um “divisor de águas” na famosa franquia de JRPGs.

Utilizamos como critérios para ordem dos títulos notas referentes à experiência pessoal o redator (este que vós fala). Teremos três critérios de avaliação: “Personagens”, “Sistema de Batalha” e “História e Mundo”. Com eles, daremos uma nota final de cada jogo e definiremos o Ranking. Em casos com empates, aquele que estiver presente em uma quantidade maior de plataformas será o vencedor.

Sem mais, vamos ao Top 10:

10 – Tales of Crestoria (iOS e Android)

Temos aqui o mais recTemos aqui o mais recente jogo mobile da franquia Tales of, disponível para Android e iOS. No planeta prisão sem nome, gemas do pecado definem quem deve ser julgado ou não por crimes cometidos. Ao ser julgado pelo povo, a gema de um pecador brilha e um Shikkousha parte para executar um transgressor. Condenado erroneamente, Kanata se une aos demais pecadores de sangue para sobreviver e desvendar o mistério por trás dos sistema de punições.

O jogo é um free to play mobile para iOs e Android. O game possui problemas nas partidas Player x Player e desafios, já que o pay to win define bastante o resultado. Felizmente, todos os jogadores podem curtir o modo história livremente, recrutando personagens gratuitamente através de cristais ganhos durante a aventura.

O jogo foge do padrão da série Tales of com batalhas em turnos

O sistema de batalhas é diferente da série original, com turnos característicos de RPGs como Dragon Quest. O enredo do game traz personagens de toda a franquia, levemente reformulados e inseridos no universo de Tales of Crestoria.

Personagens: 7
Sistema de Batalha:
7
História e Mundo:
7
TOTAL:
7

9 – Tales of Eternia (PSX e PSP)

Reid Hershel, ao lado de sua amiga Farah, vivem em uma pacata vila de Inferia. A vida da dupla muda ao resgatarem a desmemoriada Meredy dos escombros de uma nave vinda do Mundo Superior, Celestia. Ao lado do pesquisador Keele, eles precisam desvendar a verdade sobre a barreira que divide os mundos e a real identidade de Meredity.

O game usa o tradicional sistema linear de batalha dos primeiros jogos 2D da série. O comandante segue controlado pelo jogador enquanto os outros membros da party auxiliam controlados por uma I.A. Apesar de pequenos problemas, o sistema funciona bem e diverte bastante, apesar de não evoluir muito em relação aos jogos anteriores. Os personagens possuem uma excelente dinâmica e bom desenvolvimento.

Tales of Eternia foi erroneamente localizado como Tales of Destiny 2 (Imagem: Jeuxmangas.com)

O título foi erroneamente localizado no Ocidente para o primeiro PlayStation como Tales of Destiny 2. Entretanto, recebeu uma versão melhorada para o PSP com combates mais ágeis e outras melhorias, além de consertarem o nome do jogo.

Personagens: 7
Sistema de Batalha:
7
História e Mundo:
8
TOTAL:
7.35

8 – Tales of Graces (Wii e PS3)

Lançado inicialmente para Wii, o jogo só recebeu uma versão ocidental oficial por meio do port para PlayStation 3, batizado de Tales of Graces F. Asbel, Hubert e Cheria são moradores de lhant, uma vila do reino de Windor. Um dia, o trio encontra a amnésica Sophia e tentam descobrir sua origem. Em busca da verdade, os jovens partem em uma aventura que definirá o destino do mundo.

O sistema de batalha usado para Tales of Graces é o Style Shift Linear Motion Battle System (Sistema de batalha de movimento linear de mudança de estilo). Os personagens possuem dois estilos de luta diferentes para escolher, oferecendo uma maior dinâmica nas batalhas e agilidade na arena 3D. Ela também possui o sistema Chain Capacity, que oferece pontos CC usados nos ataques. Infelizmente, os pontos CC limitam bastante a ação dos personagens. É preciso cuidado redobrado para gastar tais pontos.

A versão que chegou ao Ocidente foi Tales of Graces F, exclusiva do PlayStation 3.

Referente aos personagens e história, Tales of Graces oferece uma divertida narrativa iniciada do plot desgastado da “personagem desmemoriada”. Ou seja, o que seria um “clichê” torna-se um excelente enredo de amizade e superação.

Personagens: 7.5
Sistema de Batalha:
7
História e Mundo:
8
TOTAL:
7.5

7 – Tales of Xillia (PS3)

Jude Mathis, um estudante de medicina na Escola de Especialidades de Rushugal, encontra Milla Maxwell, uma misteriosa garota que alega ser a Guardiã dos Espíritos. Investigando a destruição de inúmeros Spyrixs (nome dados aos Espíritos), ambos partem em uma jornada para descobrir a verdade e salvar todos os mundos.

O que parece uma simples jornada clichê para salvar o mundo, revela-se um épico que invoca o que existe de melhor em todos os Tales of. O sistema de batalha é o Double-Raid Linear Motion Battle System, que une ataques de dois ou mais personagens, provocando ataques devastadores, Assim, o  jogador é incentivado a experimentar várias combinações no grupo para definir um estilo de batalha eficiente para cada momento.

Tales of Xillia permite escolher quem será o protagonista: Jude ou Millia.

Infelizmente, o jogo é um exclusivo do PlayStation 3 por enquanto. Rumores apontavam para um relançamento do jogo e de sua sequência, Xillia 2, para plataformas modernas. Infelizmente, a Bandai Namco não confirmou nada sobre o título.

Personagens: 7
Sistema de Batalha:
7
História e Mundo:
9
TOTAL:
7.65

6 – Tales of Destiny (PSX e PSP)

A história narra as aventuras de  Stahn Aileron, que busca fama e aventura. Ao descobrir a espada mágica com consciência Dymlos, o aventureiro torna-se um Swordian Knight, título dado àqueles que empunham as espadas Swordianas de imenso poder. Ao lado de outros portadores de espadas, ele precisa impedir que uma relíquia ancestral caia em mãos erradas e destrua o mundo.

Sendo o segundo título da série Tales of, o enredo dá um verdadeiro salto em relação ao jogo anterior. Não que Tales of Phantasia seja ruim, mas a nova tecnologia dos CDs oferecida pelo primeiro PlayStation traz melhorias nos gráficos, animações e músicas. O Sistema de Batalha Linear 2D também recebeu melhorias significativas e foi base para vários outros jogos Tales of.

A versão melhorada de Tales of Destiny lançada no PlayStation é exclusiva do Japão

Vale lembrar que o jogo recebeu um remake para PlayStation 2 com significativas melhorias gráficas, mas nunca foi lançado oficialmente no Ocidente. Recentemente, um grupo de fãs traduziu boa parte do título para o inglês, disponibilizando os arquivos de tradução no site do projeto.

Personagens: 8
Sistema de Batalha:
7
História e Mundo:
8
TOTAL:
7.65

5 – Tales of Phantasia (SNES, PSX, GBA e PSP)

Lançado em 1995, o game marca o início da franquia de sucesso Tales of.  Seguimos o protagonista Cress Albane ao lado de seus companheiros Mint, Claus e Archer na jornada para derrotar o vilão Dhaos, que almeja destruir e conquistar o mundo.

A história, apesar de simples, possui uma narrativa que funciona e traz humanidade aos personagens, tornando o game uma experiência memorável no Super Nintendo. Infelizmente, a primeira versão nunca chegou oficialmente ao Ocidente, sendo restrita ao Japão. Por sorte, o título recebeu versões melhoradas para outras plataformas, com o relevante acréscimo da ninja Suzu.

Sem a versão de Super Nintendo no Ocidente, coube aos fãs localizarem o game para várias línguas.

O versão de SNES só chegou ao Ocidente por meio de traduções de fãs

O jogo inaugura o sistema linear de batalha 2D da série. Apesar das limitações do SNES, em especial na I.A dos inimigos e aliados, o sistema surpreende pelo que foi oferecido na época. Além disso, os ports posteriores melhoram bastante o gameplay do jogo. 

Personagens: 8
Sistema de Batalha:
8
História e Mundo:
8
TOTAL:
8

4 – Tales of Symphonia (Gamecube, PS2, PS3 e PC)

Tales of Symphonia é o quinto jogo da franquia e o primeiro totalmente 3D. Nele, acompanhamos o espadachim Lloyd Irving, que precisa ajudar sua amiga Colette Brunel na jornada sagrada de regeneração do mundo. Ao lado de amigos, o grupo percebe que nem tudo é o que parece e precisam fazer de tudo para manter Colette segura.

O jogo traz uma significativa melhoria no já conhecido sistema linear de batalha, mas agora ingressando no 3D. Symphonia também traz monstros visíveis no cenário e as batalhas ocorrem com a aproximação, abandonando de vez os encontros aleatórios. Também ocorre uma melhoria significativa nas I.A. do jogo. O título é a versão definitiva do sistema linear de batalha da série, que já mostrava sinais de desgaste.

Tales of Symphonia foi o primeiro jogo da série com gráficos 100% em 3D.

O enredo e personagens são bem desenvolvidos, com uma trama digna de séries de anime. Por isso, muitos afirmam que Symphonia é um dos melhores Tales of já lançados (em especial no Japão).

Personagens: 9
Sistema de Batalha: 7.5
História e Mundo:
8
TOTAL:
8.15

3 – Tales of The Abyss (PS2 e 3DS)

Tales of Abyss segue Luke fon Fabre, um jovem espadachim mimado que precisa amadurecer quando se torna o alvo de uma organização militar-religiosa conhecida como Ordem de Lorelei. Sendo chave para realização de uma antiga profecia, Luke une-se a outros descontentes com a Ordem para descobrir toda a verdade e salvar o mundo.

Abyss inaugura o Flex Range Linear Motion Battle System, que traz uma capacidade maior de manobras ao jogador. Agora é possível atacar, defender, executar uma habilidade ou chamar um menu rapidamente, tornando os combates mais dinâmicos.

Top 10 Tales of  Series
Tales of The Abyss possui versões para PlayStation 2 e Nintendo 3DS

Também é inaugurado o recurso Free Run, que permite mover os personagens em qualquer direção no cenário. Este é o primeiro jogo da série com movimentação livre nas batalhas da série Tales of.

Personagens: 8
Sistema de Batalha:
9
História e Mundo:
8
TOTAL:
8.35

2 – Tales of Berseria (PC e PS4)

Apesar de ser um prequel de Tales of Zestiria, Tales of Berseria é muito superior. Na história, acompanhamos Velvet, uma garota amaldiçoada como uma avatar da mácula, a energia maligna do mundo que transforma tudo o que toda. Sendo prisioneira por três, a protagonista escapa do cárcere e une-se a outros para derrotar a Organização de Exorcistas Abbey.

Berseria reutiliza o sistema de batalha linear presente em Tales of Zestiria, só que melhorado. As mecânicas de barras e pontos para execução de golpes e artes continuam, só que alterações no controle padrão. Assim, é possível atribuir vários golpes Arts em um único botão, ampliando as opções ataques.

Top 10 Tales of  Series
O sistema Soul Gadge de Berseria estará presente no novo Tales of Arise

Existe agora a Soul Gadge, que permite executar vários golpes Arts em sequência gastando pontos acumulados durante a batalha. Isso permite várias sequências de golpes e incentiva o jogador a concluir combos, acumular mais Soul Points e continuar executando sequências que liberem mais pontos. Um sistema dinâmico que será aproveitado em Tales of Arise.

Personagens: 8
Sistema de Batalha:
9.5
História e Mundo: 8
TOTAL:
8.5

1 – Tales of Vesperia (Xbox 360, PS4, Nintendo Switch, Xbox One e PC)

Tales of Vesperia causou comoção no Ocidente, pois foi o primeiro jogo da série publicado para Xbox 360, sendo um exclusivo do console da Microsoft fora do Japão. Dez anos depois do lançamento, o título recebeu uma versão definitiva para Switch, Xbox One, PS4 e PC.

Vesperia acontece no planeta de Terca Lumiries. As pessoas deste planeta desenvolveram suas cidades por meio da tecnologia blastia, proveniente de uma antiga civilização perdida milhares de anos atrás. Elas são alimentadas pela energia mágica Aer, que afeta os humanos normais e animais. Um ex-combatente do exército imperial, Yuri Lowell, envolve-se com a princesa Estelle e outros companheiros para desvendar estranhos acontecimentos envolvendo as pedras blastias e a energia aer.

Top 10 Tales of  Series

O sistema de batalha é uma forma “evoluída” do que foi apresentado em Tales of the Abyss. Agora, os combates são mais ágeis, com a possibilidade do jogador emendar várias batalhas de uma só vez no mapa. O novo sistema de Skill oferece uma maior opção de movimentos, como golpes Arts executados no ar “combando” outros golpes no chão. Outros ataques Arts fornecem aumento de atributos como ataque, defesa e agilidade, além de provocar diversos efeitos no adversário. Em Vesperia, as armas são a chave para desbloquear várias habilidades.

Na questão dos personagens e história, o título não decepciona. Todos são altamente carismáticos e estão 100% envolvidos na trama. Cada um possui o seu papel e momento para brilhar, sendo um dos jogos da série com a maior quantidade de interações entre personagens. O único defeito aqui é um pequeno plot twist no final do game, mas nada que estrague o resultado final.

Personagens: 9
Sistema de Batalha: 9
História e Mundo:
8
TOTAL:
8.65

Curtiu o nosso “Top 10 Tales of séries”? Lembrando que o próximo título da série, Tales of Arise, será lançado no dia 10 de setembro para PlayStation 4, PlayStation 5, Xbox One, Xbox Series S|X e PC via Steam. A Bandai Namco lançara uma versão demo do game no dia 18 de agosto.

*Com informações do site Aselia Fandom
** Com informações do site CDRomance
*** Com informações da Bandai Namco

Jornalista, analista de mídias e sergipano com orgulho. Apaixonado por "quase" tudo que vem do Japão, em especial animes e jogos. Um eterno sonhador que sempre busca novos desafios!